Dia 27 de novembro é a data da Black Friday 2020, mas você já parou para pensar em como será o comportamento de compra do consumidor neste ano? Essa é uma pergunta que muitos lojistas estão se fazendo, tendo em vista que estamos vivenciando o chamado “novo normal”, imposto pela pandemia de Covid-19 ao comportamento de consumo.

É por isso que as estratégias de venda precisam ser muito bem direcionadas, para atender a um consumidor que está com menos dinheiro no bolso, assim como mais exigente e criterioso para gastar.

A seguir, fizemos um panorama que mostra os números da edição da passada da Black Friday, assim como as tendências do comportamento de compra na edição deste ano, em um cenário de retomada da economia. Acompanhe!

Números dos hábitos de compra na Black Friday 2019

A Black Friday foi realizada pela primeira vez no Brasil em 2010. Naquele ano, ainda engatinhando no país, o evento representou um faturamento que não passou de R$ 3 milhões para os lojistas.

Em 2019, de acordo com um levantamento do Ebit | Nielsen, só o varejo online faturou mais de R$ 2,6 bilhões. Percebe-se que o evento cresceu muito em nove edições, assim como o comportamento de compra do consumidor, não é mesmo?

O número animador mostra como o evento já faz parte do calendário de compras dos brasileiros, que aguardam a data para aproveitar as promoções. Porém, não foi só o crescimento das compras que foi observado de 2010 a 2019.

Até o início da década passada, poucas as pessoas que tinham o hábito de fazer compras usando dispositivos móveis, como smartphones e tablets. Hoje, isso é muito mais comum, tendo em vista que, na última edição, também de acordo com a Ebit | Nielsen, 55% dos pedidos foram feitos usando os celulares. Isso representa um aumento de 103% no comportamento de compra em relação à edição de 2018 da Black Friday.

Se formos observar apenas o faturamento mobile da Black Friday 2019, o número é surpreendente, R$ 1,7 bilhão. Esse valor representa um aumento de 95% em relação a 2018. Ou seja, o comportamento de compra do consumidor está mudando e já caminhava para o digital, antes mesmo da pandemia.

A cultura do mobile first é uma realidade, e esse é um dos principais pontos aos quais os lojistas e donos de e-commerce precisam ficar atentos para obter êxito na Black Friday 2020.

Tendências do comportamento de compra na Black Friday 2020

Tendo como base os números de 2019, bem como o contexto que estamos vivendo em 2020, é possível traçar algumas ideias sobre como será a 10ª edição da Black Friday no Brasil em relação ao comportamento de compra.

A seguir, confira algumas das tendências de comportamento de compra do consumidor para o evento mais esperado pelos varejistas e donos de e-commerce!

Estabilização do ticket médio

O ticket médio de compras na Black Friday 2020 deve se manter estabilizado em relação ao ano anterior. Isso quer dizer que cada consumidor não deve fazer uma quantidade de compras muito superior ao que já aconteceu nos outros anos.

Apesar de a economia estar caminhando para um cenário de recuperação, os reflexos da pandemia ainda são visíveis. O desemprego e a perda de renda ainda são problemas no país, mas a extensão do auxílio emergencial, dado pelo Governo Federal, por mais três meses, pode fazer com que haja uma estabilização nas vendas e no comportamento de compra.

Aumento das vendas de itens supérfluos

Alguns especialistas também apontam uma tendência de aumento nas vendas de artigos supérfluos, como eletroeletrônicos, maquiagens, vestuário, entre outros itens do tipo.

A explicação para isso está no fato de que muita gente, com medo de um futuro econômico incerto, estava guardando dinheiro e comprando apenas o básico, ou essencial, nos primeiros meses da pandemia.

Com a flexibilização do comércio e demais atividades, na grande maioria das cidades e estados brasileiros, a economia voltou a girar, algumas pessoas recuperaram os seus empregos e outras fontes de renda e, agora, voltam a ter estabilidade, o que altera, também, o comportamento de compra. A possibilidade de adquirir tais produtos a preços mais baixos é mais um atrativo para essas vendas subirem.

A jornada de compra do cliente, de tal forma, será mais criteriosa, tendo em vista que ele buscará por bons preços, ao mesmo passo em que escolherá mais o que deseja comprar, já que o orçamento ainda pode estar um pouco apertado.

Crescimento das vendas online

Se em 2019 já houve um crescimento exponencial das vendas online, em 2020 esse número será ainda mais expressivo. Esse é um reflexo do isolamento social, que agiu diretamente no comportamento de compra do consumidor.

Durante a quarentena, muitos consumidores que nunca tinham feito compras online, principalmente os mais velhos e conservadores, adquiriram esse hábito. Para evitar a contaminação pelo novo coronavírus, as pessoas tiveram que se acostumar a ficar mais em casa e não sair para fazer compras.

Logo, um novo público migrou para o mobile e, agora, comprará pela primeira vez em uma Black Friday, pela internet.

Possibilidade de recuperar os prejuízos financeiros da crise

A crise econômica mundial, causada por consequência do coronavírus, fez com que alguns estabelecimentos comerciais e lojas virtuais vivessem meses bem complicados. A retenção econômica atingiu a todos, desde os pequenos empreendedores, até os grandes empresários.

Depois de um período turbulento, agora, se inicia um cenário de recuperação, mesmo que em passos lentos. A Black Friday, portanto, pode representar um divisor de águas em 2020, surgindo como uma possibilidade de recuperar os prejuízos obtidos durante a pandemia.

Mesmo que não recupere tudo o que foi perdido durante o ano, a esperança é que, pelo menos, se abra uma porta para dias melhores. A injeção de lucros causada pelo evento pode servir para os lojistas se movimentarem, começar a investir e projetar um 2021 bem melhor do que foi 2020.

Como aproveitar o novo comportamento de compra e vender mais na Black Friday

Como vimos, há um novo comportamento do consumidor sendo moldado, muito por conta dos reflexos da pandemia. Em meio a esse cenário, é importante que você desenvolva estratégias para tirar o máximo de proveito do novo comportamento de compra em seu e-commerce e ter mais resultados positivos na Black Friday que se aproxima.

Preparamos algumas dicas que podem auxiliar nesse sentido.

Seja responsivo

O mobile first, que já vinha sendo discutido há anos e tido como tendência, hoje, é básico. Isso quer dizer que o seu e-commerce precisa ser responsivo, ou seja, se adaptar a qualquer tipo de tela.

Se uma pessoa acessar um site de um e-commerce por meio de um tablet ou smartphone e não tiver uma experiência positiva, tendo que usar os dedos para ampliar a tela, por exemplo, é bem provável que ela não fechará a compra.

É por isso que, se o seu site ainda não é responsivo, você precisa ajustar isso para ontem. Caso contrário, perderá a chance de efetivar muitas vendas na Black Friday.

Garanta uma experiência prática e intuitiva

O novo comportamento de compra digital do consumidor também exige uma experiência prática e intuitiva nas plataformas de vendas.

É claro que ter um site fácil de usar, desenvolver as técnicas do UX design, entre outras estratégias sempre foi importante para quem vende pela internet. No entanto, agora, mais do que nunca, isso é necessário.

A justificativa está justamente no novo público usando a internet para fazer compras. Tratam-se de pessoas que, até poucos meses atrás, não tinham o hábito de comprar produtos online.

A experiência desses indivíduos com e-commerces é bem diferente da que os nativos digitais têm. Logo, quando mais simples e fácil for a navegação pelas páginas, melhor para você!

Trabalhe bem as imagens e informações dos produtos no e-commerce

Para tirar mais proveito do novo comportamento de compra, é interessante que você trabalhe bem as imagens no seu e-commerce. É de fundamental importância que todos os produtos tenham fotos bem produzidas e que possam mostrar os detalhes do produto para quem deseja adquiri-lo.

Além das fotos bem produzidas, também é interessante que os produtos tenham descrições completas, com todas as informações necessárias para quem deseja fazer uma compra.

Se a sua loja virtual vende roupas, por exemplo, é essencial que estejam disponíveis as medidas de cada tamanho das peças, cores, entre outras informações. Assim, as chances de o cliente comprar um produto que realmente agrade e supra as suas necessidades aumenta de forma considerável.

Aposte nas estratégias de SEO

A Black Friday também pode trazer mais lucros, se você apostar nas estratégias de SEO. Afinal, ao desenvolver bem as estratégias do tipo, o seu e-commerce será mais mostrado quando as pessoas fizerem buscas sobre assuntos relacionados no Google.

O SEO para e-commerce pode ser feito por meio de diversas atividades, como a otimização dos títulos dos produtos e das páginas, uso de palavras-chave com alto potencial de busca nas descrições, responsividade do site etc.

Além disso, em paralelo, podem ser desenvolvidas estratégias de marketing de conteúdo e inbound marketing. O seu e-commerce pode ter um blog, em que devem ser publicadas informações relevantes para o seu público, como dicas de como usar determinado produto que você vende ou utilizar um item em oferta etc.

Isso ajuda a construir autoridade na internet, ao mesmo passo que faz com que o seu negócio tenha prioridade nas buscas orgânicas no Google. Com mais visibilidade, obviamente, as vendas tendem a subir.

Comece a se preparar o mais rápido possível

Você precisa começar a se preparar para a Black Friday o mais breve possível. Falta pouco tempo para o evento e, este ano, ele é ainda mais esperado e planejado pelos lojistas. Lembre-se que todos querem aproveitar ao máximo essa oportunidade para amenizar os danos trazidos pela crise nos meses anteriores.

Logo, as oportunidades de vender são muitas, mas também há uma concorrência enorme! Comece a se preparar o mais rápido possível para que possa executar as suas estratégias antes dos seus concorrentes.

Investir em marketing e prolongar o período de descontos, transformando a Black Friday em Black Week, por exemplo, é uma excelente ideia. Também coloque produtos estratégicos, ou seja, que são muito bons de venda, em destaque no e-commerce. Eles tendem a atrair mais pessoas, que depois podem acabar adquirindo, também, outros itens na sua loja.

Com as mudanças visíveis no comportamento do consumidor, que está muito mais digital, os e-commerces devem ser os grandes protagonistas dessa Black Friday. Por isso, não deixe esse momento passar e siga todas as dicas para vender mais e recuperar os meses difíceis de 2020.

Gostou deste artigo e quer ver mais novidades? Siga-nos nas redes sociais! Estamos no Instagram, no Facebook e no LinkedIn.