Pare de perder clientes por falta de controle de frete

por 10/10/2019Blog, Soluções, Sua Loja

A falta de controle de frete afeta diretamente a experiência do cliente nas operações de comércio eletrônico. E resolver esse problema deve ser uma prioridade.

Atualmente, o comércio eletrônico se tornou um dos canais de vendas e marketing que mais cresce para diferentes tipos de produtos e serviços. Além disso, por conta da força que se tornou, o e-commerce também influencia na adoção de novas tecnologias e na melhoria das operações de logística e transporte, a exemplo do controle de frete associado à distribuição de bens de consumo. 

De fato, ao eliminar as limitações geográficas e de espaço existentes em uma loja física, o comércio eletrônico permite que varejistas e atacadistas ofereçam uma seleção praticamente ilimitada de mercadorias. 

No entanto, ao oferecer mais produtos, as lojas online enfrentam mais desafios. À medida que os varejistas e atacadistas se expandem para mais opções, como vender produtos enviados diretamente do fabricante para o cliente, ou vender seus produtos através de marketplaces, a exemplo do eBay ou Amazon, a complexidade se torna ainda maior.

A melhor maneira de atender à crescente demanda do comércio eletrônico é garantir o uso otimizado dos recursos de transporte com o controle de frete. Isso inclui a utilização de todos os modos disponíveis e locais físicos existentes para logística, como centros de distribuição, lojas físicas e centros de coleta.

Objetivos da estratégia de envio do comércio eletrônico

Em termos de estratégia de remessa, o controle de frete trata de garantir que os clientes tenham acesso aos meios mais eficientes e convenientes de receber um produto. 

Como a demanda de comércio eletrônico está aumentando, a capacidade de usar os recursos físicos e os locais existentes para atendê-la definirá estratégias mais assertivas de envio de comércio eletrônico. 

Para o comércio eletrônico, isso exige a integração de plataformas para remessa de produtos para locais de “tijolo e cimento”. Assim como nos modos de transporte rodoviário, tirar proveito de recursos, como um sistema de gerenciamento de carregamento, programas de controle de frete e serviços de valor agregado, como auditoria de faturas, pode levar a um controle eficiente das despesas com a carga. 

Enquanto muitas marcas começam no comércio eletrônico, adotando uma abordagem simplista do envio, como oferecer frete grátis, as empresas mais bem-sucedidas usam opções estratégicas de envio para se diferenciar da concorrência e aumentar as margens.

Em termos gerais, os principais objetivos da estratégia de envio de comércio eletrônico são os seguintes:

  • Aumentar as conversões.
  • Aumentar o valor médio do pedido.
  • Expandir o mercado ou o público-alvo.
  • Diminuir custos.
  • Melhorar a eficiência operacional.

Isso requer coordenação entre várias equipes da organização, desde a de marketing até o atendimento, entre outras. Além disso, estabelecer uma estratégia de envio em sua loja online permite garantir que todos os envolvidos neste processo saibam o que está acontecendo e de sua responsabilidade em cada etapa dessa jornada.

Mas afinal, o que há de errado com o processo de envio do comércio eletrônico?

Não tenha dúvidas que tanto o segmento de varejo quanto o de atacado, representado pelo B2C e B2B respectivamente, aprovaram o aumento da demanda devido ao comércio eletrônico. 

Pequenas melhorias na cadeia de suprimentos, fabricação, logística e gerenciamento de transporte tem ajudado a atender a mais pedidos, mas todo o processo falhará sem um foco na estratégia de transporte e no controle de frete. 

Em outras palavras, o crescimento de pedidos é ótimo, mas ainda requer um uso significativo dos recursos logísticos. Como boa parte dos centros de distribuição ainda opera em processos manuais, as oportunidades perdidas se tornam um problema importante.

Pense nisso: os clientes querem a melhor experiência de compra. Como uma empresa pode oferecer o melhor negócio sem um eficiente controle de frete e distribuição?

Além disso, as práticas de remessa de comércio eletrônico devem considerar o gerenciamento de mão de obra especializada, especificamente carregamento e descarregamento, bem como a política e gestão do controle de frete.

Se existem deficiências nas etapas que fazem parte do processo de entregas, então, o risco de perda de receita se torna real. O desenvolvimento de uma estratégia robusta de remessa para o comércio eletrônico deve ser uma prioridade tão importante quanto o próprio processo de vendas. 

Portanto, repensar o posicionamento do controle de pedidos e da gestão de frete é essencial para obter uma vantagem competitiva em um mercado cada vez mais conectado, exigente e concorrido.

Como as redes de logística devem mudar sua estratégia de controle de frete para os próximos anos?

De fato, os clientes de comércio eletrônico estão se tornando cada vez mais exigentes a cada dia. Para se ter uma ideia, um estudo feito pela Accenture Strategy descobriu que 62% dos consumidores norte-americanos esperam que os pedidos, com frete grátis, cheguem dentro de três dias. Essa realidade também se aplica no Brasil.

Porém, muitas empresas ainda estão lutando e sofrendo para cumprir essa expectativa.

O que as micro e macro tendências de tecnologia emergente na cadeia logística nos mostram é que inteligência artificial, aprendizado de máquina, Blockchain, interações de texto ou voz através de Chatbot, automação de processos e robótica avançada vão desempenhar um papel crucial no controle de frete e entregas. 

A inteligência orientada a dados aumentará a capacidade dos futuros líderes no controle de pedidos tomarem decisões e direcionar a estratégia para decisões logísticas. 

A gestão de frete de forma manual se tornou obsoleta, e os gestores terão que se adaptar às novas tendências e conduzir decisões de maneira rápida para se encaixar com a nova realidade do processo de compra, venda e entrega de mercadorias e serviços.

Foco no tempo de entrega e na satisfação do cliente

O foco no tempo de entrega, na satisfação do cliente e na transparência da cadeia logística se tornará cada vez mais importante para o B2B, B2C e marcas. 

A realidade mostra que os clientes não apenas desejam que suas compras on-line sejam entregues rapidamente, mas também insistem em poder rastrear um pacote ou saber quando ele chegará.

Para isso, as redes devem se tornar mais eficientes. E a estratégia para alcançar a eficiência acontece de diferentes formas. 

De uma plataforma de e-commerce que dá a opção para o cliente de acompanhar o pedido realizado e ser notificado a cada etapa do processo que for concluída, o controle de frete que permite diferenciar os SKUs pela velocidade da entrega e adotar uma abordagem mais criteriosa da distribuição, em vez de manter o estoque em um único local e utilizando um processo manual na gestão de estoque.

A disponibilidade de mão de obra, de funcionários de armazém a caminhoneiros, também faz parte desse desafio, o que leva as empresas a explorarem novas tecnologias que permitem a automação e aumento de produtividade.

Além disso, as restrições de capacidade, principalmente nos feriados, continuarão sendo uma dificuldade a ser enfrentada. Portanto, com todo esse cenário, os gestores de logística precisam aumentar a flexibilidade em tudo o que fazem. 

Em resumo, o mercado está mudando rapidamente, e o controle de frete não pode ser o motivo que impede as empresas de construírem seu crescimento.

A importância dos dados e informações para melhorar a eficiência da entrega do comércio eletrônico

Os dados coletados por meio de vendas de comércio eletrônico são essenciais para ajudar as empresas a planejarem sua cadeia logística até o nível do cliente. As informações consolidadas são extremamente importantes para planejar adequadamente a política de frete e o controle de pedidos.

Simplesmente não há dúvida de que modelos avançados de análise de dados, juntamente com soluções de tecnologia relacionadas ao controle de frete, são capazes de auxiliar os requisitos de recursos para uma eficiente entrega do comércio eletrônico de acordo com a demanda real. 

Portanto, o desafio do e-commerce reside na captura, síntese e gerenciamento das vastas formas de dados necessárias para sincronizar e tomar várias decisões informadas. 

A análise de dados, as tecnologias de gestão e o aumento da comunicação na cadeia são fundamentais. Não apenas dentro da empresa responsável pelas vendas, mas também com os parceiros. Hoje e amanhã, as entregas precisas são a chave do sucesso.

Os principais riscos para um comércio eletrônico sem um eficiente controle de frete

A falta de flexibilidade é um grande risco para comércio eletrônico. A exigência pela qualidade da entrega se tornou uma ameaça ao negócio, porque o cliente, agora, é o verdadeiro impulsionador da carga de trabalho, e a flexibilidade é a chave para o sucesso. 

As empresas precisam de redes flexíveis que possam crescer para atender à alta demanda, mas, ao mesmo tempo, precisam se adaptar quando ocorrer a baixa demanda. Isso inclui uma força de trabalho flexível, algo que está se tornando cada vez mais difícil em um ambiente orientado pela demanda.

Além disso, a política de frete e o controle de pedidos se tornaram fundamentais para minimizar os riscos associados à variação das entregas do comércio eletrônico. Vale lembrar que o comércio eletrônico é novo, e precisamos ter em mente também que a própria Internet é incipiente em comparação com os antigos sistemas de comércio. 

Por essa razão, ainda temos muitas mudanças pela frente. A Economia Digital, com seus novos paradigmas de mercado, nos leva ao desafio e aos riscos de novos formatos de vendas e controles a gestão do frete e a satisfação do cliente.

Soluções de software e tecnologia mudam a maneira de lidar com o comércio eletrônico

O resultado final é simples: a tecnologia é a cola que mantém a rede logística de comércio eletrônico unida. 

Ter sistemas integrados de controle de frete e pedidos é importante para as empresas e seus parceiros, assim como as tecnologias preditivas, que podem ajudar a antecipar a demanda, melhorando todo o processo de envio de uma empresa de e-commerce.

Haverá grandes recompensas para quem intensificar as ações em busca da qualidade em sua gestão. Estamos vendo a tecnologia continuar evoluindo com o comércio eletrônico. 

Por fim, é importante que todos os participantes trabalhem juntos para desenvolver padrões de alta disponibilidade e resiliência ​​que funcionem em várias plataformas diferentes, e suportem a alta demanda da carga de trabalho.

Essas colaborações importantes servem para impulsionar a integração de dados na cadeia logística e no processo de entrega. As parcerias são uma maneira de baixo custo para diminuir as barreiras de entrada, para que organizações e empresas entrem no mundo de investimentos em inovação e no desenvolvimento tecnológico de um comércio eletrônico cada vez mais eficiente.

Relacionados