O novo coronavírus causou impactos profundos no Brasil e no restante do mundo. Após as ações emergenciais para conter os danos da pandemia, também surge a preocupação com a retomada do crescimento econômico do país – e o e-commerce pode ser uma peça importante neste momento.

Com a necessidade de isolamento social, as empresas precisaram mudar seus modelos de negócio e o consumidor passou a consumir mais por meio da internet. Neste cenário, as vendas online ganharam mais importância para manter a economia circulando e promover o crescimento econômico. E essa é uma tendência que deve continuar após o fim deste período de crise.
 

Quer entender melhor como o e-commerce é uma peça importante para o crescimento econômico do Brasil? Então confira neste artigo.
 

A força do e-commerce brasileiro para o crescimento econômico

O e-commerce é um modelo de negócio que já vinha ganhando força ao longo dos últimos anos. Com toda a comodidade de fazer compras pela internet, o número de consumidores que opta por acessar as lojas virtuais em vez de ir às lojas físicas é cada vez maior. Ou seja, a exigência de isolamento social apenas acelerou esse processo de expansão as vendas pela internet.
 

Segundo dados da 41ª edição do Webshoppers, um relatório sobre e-commerce elaborado semestralmente pela Ebit|Nielsen em parceria com a Elo, o e-commerce brasileiro ultrapassou a marca de R$ 60 bilhões em faturamento e atingiu 148 milhões de pedidos em 2020.
 

Além disso, o resultado do faturamento nos quatro primeiros meses deste ano somou R$22,9 bilhões (De 1º de janeiro até 30 de abril de 2020), 32% do resultado de todo 2019. Trata-se de um dado que demonstra que o ambiente online realmente caiu no gosto do brasileiro, mesmo em meio à pandemia da Covid-19 – além de servir como indicador de uma boa força para contribuir com o crescimento econômico do país.
 

Em 2019 o faturamento do e-commerce brasileiro cresceu 16,3 – alcançando R$ 61,9 bilhões. Isso foi impulsionado pelo aumento de 21% no número de pedidos, alcançando 148 milhões de compras online, frente a 123 milhões em 2018.
 

Com os brasileiros mais conectados em seus computadores, tablets ou celulares, a compra online tornou-se algo quase natural. E após essa experiência necessária por conta da pandemia do novo coronavírus, o número de pessoas que optam pelos e-commerces deve ser cada vez maior. Portanto, o crescimento econômico gerado por essas movimentações pode ser bastante expressivo.

 

Desempenho do e-commerce em tempos de crise

Acabamos de ver como o desempenho do e-commerce cresceu neste período de crise – contribuindo para o crescimento econômico.
 

E os dados da 41ª edição do Webshoppers tornam isso ainda mais evidente: entre os dias 17 de março e 27 de abril de 2020, etapa com restrições de circulação, o comércio online brasileiro chegou a R$ 8,4 bilhões em faturamento, variação de 48,3% sobre o período de 19 de março a 29 de abril de 2019 (R$ 5,7 bilhões).
 

Esse crescimento do comércio online ocorreu em todas as regiões brasileiras no período, com maior contribuição do Nordeste, Sudeste e Sul, em função da sua importância para o e-commerce.

 

Confira neste MáximaCast um bate papo com especialistas em estratégias de vendas online, analisando esse cenário de oportunidade em meio ao surto do coronavírus:

O papel do e-commerce para o crescimento econômico do Brasil

Com os ótimos resultados das vendas online, o e-commerce vem se mostrando uma força aliviar os impactos da crise e reestabelecer o crescimento econômico. Esse canal de venda está se tornando a saída para manter empregos, faturamento e gerar riqueza para o a economia nacional.
 

E essa não é uma particularidade do Brasil. Em outros países esse fenômeno de fortalecimento do crescimento econômico pode ser observado: nos Estados Unidos, com ajuda do e-commerce, o país apresenta um desempenho econômico impressionante, particularmente em termos de crescimento da produtividade. Já na Índia, o país tem uma tremenda oportunidade de crescimento econômico à medida que a penetração do varejo eletrônico e a internet cresce com o passar dos anos.
 

Os benefícios de fazer compras online já estão evidentes há muitos anos, mas essa aceleração no crescimento pode ser atribuída ao avanço da tecnologia – que torna a experiência do consumidor cada vez melhor – seja com a facilidade em realizar pedidos, marketing menos agressivo, entrega rápida ou preços atrativos.
 

Além disso, especialistas apontam que o e-commerce é um sistema de negócios que produz eficiência, reduz custos, amplia a produtividade, otimiza investimentos e promove a gestão estratégica dos processos de forma inteligente – gerando sustentabilidade em longo prazo. E essas são todas ótimas características para promover o crescimento econômico.
 

Como manter bons resultados de vendas em momentos de crise?

Tirando os casos óbvios de sucesso, como os supermercados, farmácias e outros setores de necessidades básicas, houve muitos casos de aumento nas vendas no e-commerce brasileiro. Enquanto outros setores enfrentam dificuldades, praticamente todos os segmentos online estão conseguindo ótimos resultados durante a crise – fomentando o crescimento econômico.
 

Já vimos que o e-commerce é uma peça importante para o crescimento econômico do país. Mas como você pode agir para promover o crescimento do seu próprio negócio neste mundo de vendas online? Separamos algumas dicas que podem ajudá-lo a vender em momentos de crise:
 

Mantenha seus clientes atualizados

Por mais que o cenário seja muito incerto, os clientes ainda devem entender o que há de mais recente em seus negócios. Especialmente quando afeta a experiência do consumidor – seja positivamente ou negativamente.
 

Atualmente, a entrega para algumas regiões impossível? Deixe claro para seus clientes que moram nestes lugares. Ou, então, você está oferecendo frete grátis para compras de produtos essenciais? Garanta que os clientes fiquem sabendo da novidade. Se os clientes se sentirem bem informados e confiantes, são maiores as chances de que continuem comprando de você.
 

Adapte-se ao momento

A pandemia do novo coronavírus trouxe um contexto único para as pessoas. Todos nós ainda estamos buscando se adaptar à necessidade de distanciamento social e realizar todas as necessidades sem sair de casa.
 

Neste contexto, o e-commerce tem muito a oferecer. Adaptar-se ao momento com agilidade pode se tornar um grande diferencial. Veja algumas ideias:

  • Muitas empresas estão oferecendo frete grátis ou outras condições benéficas para pessoas do grupo de risco ou para a compra de produtos essenciais. Essa é uma boa forma de demonstrar empatia e aumentar a confiança do consumidor em sua marca.

  • Procure reformular suas ações de marketing e a comunicação com o consumidor para o momento atual. As ações que você vinha executando podem esperar até este momento de crise passar.

  • É possível adicionar informações adicionais aos pedidos dos clientes durante o processo de checkout. Marque isso como um campo-chave no momento, para que os clientes possam fornecer informações importantes com facilidade – como instruções para deixar as encomendas em segurança sem a necessidade de contato físico.

  • Deixe claro que existe a opção de envio de presentes para outras pessoas em aniversários e ocasiões especiais. Assim, os consumidores não precisam sair de casa para surpreender seus amigos e familiares.
     

Continue focando nas datas comemorativas

Por mais desafiadora que seja a situação de pandemia, grande parte das pessoas não abrem mão de comemorar as datas especiais – seja aniversários ou outras datas festivas.
 

Se o isolamento aumentar ou prevalecer, as compras online podem se tornar a maneira mais segura e confiável de trocar presentes ou adquirir bens e serviços. Com isso em mente, mantenha seu calendário de marketing e continue trabalhando na comunicação constante com o seu cliente. Invariavelmente haverá altos e baixos, mas sempre haverá uma demanda por sua oferta.
 

Seja sensível

Este é obviamente um momento muito difícil para pessoas de todo o Brasil. Por isso, é preciso manter a sensibilidade em primeiro lugar – tanto para manter o cliente satisfeito quanto para gerar boas oportunidades de venda. Afaste-se de promoções agressivas e insensíveis. Ninguém quer receber ofertas com cupons no estilo “obtenha 20% com o código Corona20”
 

Esteja atento às dificuldades que as pessoas estão enfrentando. Concentre-se na força de seus produtos e níveis de serviço e garanta que todas as promoções sejam de bom gosto e adequadas.
 

Esteja ciente dos custos – mesmo com o crescimento econômico

Há uma possibilidade muito real de que os clientes estejam navegando tanto ou mais do que nunca. Isso significa que as vendas podem aumentar – mas também que os indicadores que você costuma acompanhar podem sofrer variações consideráveis. Um ótimo exemplo disso é uma queda na taxa de conversão de seus anúncios online – afinal, há um número maior de pessoas acessando diversas lojas online.
 

Além disso, é preciso ficar de olho nos custos que podem surgir neste momento – não apenas com publicidade online, mas também com a reposição de estoques e logística.
 

Inspire confiança

Este é um momento incerto, e os clientes podem relutar em fazer pedidos de itens não essenciais. Portanto, nunca foi tão importante usar mensagens de confiança e configurar seu site de maneira a transmitir confiança de que suas compras serão livres de estresse e seguras.
 

Seja claro e conciso. Concentre-se em minimizar a desinformação e manter tudo atualizado. Não tenha medo de vender os benefícios da sua empresa. Esses benefícios não são menos valiosos hoje do que no ano passado.
 

Facilite para seus clientes

O 41º Webshoppers identificou que o crescimento dos pedidos com frete grátis auxiliou na melhora de desempenho dos canais. As compras online, sem pagamento de frete, representaram 48% do total em 2019, com um aumento de 28% nos pedidos desse tipo. Já o frete pago teve expansão de 15%.
 

Esse é um ótimo exemplo de como facilitar a vida de seus clientes pode ser um diferencial para fechar mais vendas. Veja algumas opções que seriam apreciadas calorosamente neste momento desafiador:

  • Entrega gratuita. Conforme acabamos de destacar, o frete grátis realmente atrai o consumidor brasileiro. Portanto, pode ser uma boa ideia remover a barreira de conversão dos custos de envio. Mesmo que seja frete grátis acima de um certo limite ou apenas para alguns produtos, verifique se isso é claramente comunicado no site.

  • Devoluções gratuitas. Isso dará mais confiança ao cliente em sua marca e o conhecimento de que eles podem devolver facilmente seus pedidos sem incorrer em taxas ajudará a imitar a experiência do varejo físico a curto prazo.

  • Políticas de devoluções estendidas. Dificilmente essa medida acarretará em uma taxa de retorno mais alta. Trata-se de uma estratégia para promover conforto, sabendo que os clientes têm mais tempo para devolver os pedidos, caso realmente precisem.

  • Pagamentos sem juros e flexíveis. A renda disponível pode diminuir para algumas pessoas no curto prazo. Ter opções de pagamento flexíveis ajudará os clientes a distribuir os custos e equilibrar um pouco as finanças nesse meio tempo.
     

É importante lembrar: todos esses mecanismos farão a diferença, mas perderão seu efeito se você não comunicar claramente ao público. Se o seu negócio online oferecer condições únicas como essas, é essencial que elas realmente cheguem ao conhecimento do cliente.
 

Permaneça conectado

Muitos compradores desfrutam do toque pessoal que uma loja física pode oferecer: excelente serviço ao cliente, conselhos perspicazes e alguém que se importa. Na ausência do varejo tradicional, é importante tentar oferecer isso online. Não se posicione como um site sem rosto, onde é impossível acessar alguém. Prove que você está aberto para negócios e pronto para ajudar.
 

Veja algumas ideias para colocar isso em prática:

  • Ative bate-papo ao vivo e televendas. Mesmo enquanto estiver trabalhando remotamente, é preciso garantir que os usuários possam entrar em contato por meio de bate-papo ou telefone. Isso ajudará os clientes a tomar decisões e fornecer garantias sobre os principais problemas.

  • Facilite o contato. Torne os números de contato locais claros no site e destaque em banners a capacidade de comprar e realizar transações por telefone. Isso é particularmente importante se você tiver uma base de clientes mais antiga.

  • Entre em contato. Você pode experimentar um grande volume de contatos de clientes por meio de formulários ou e-mails. Trate-os como uma alta prioridade. São clientes engajados que compraram ou estão à beira da compra. Certifique-se de aliviar as preocupações e responder às perguntas o mais rápido possível.
     

Todos os métodos acima permitem que você se conecte aos seus clientes. Nestes tempos potencialmente isolados, uma experiência calorosa e amigável de atendimento ao cliente pode realmente melhorar o dia de alguém. Tente dar o seu máximo para que isso aconteça e isso pode gerar uma lealdade do cliente que pode durar a vida toda.

 

Você já conhecia a importância do e-commerce para o crescimento econômico? Como o seu negócio está agindo neste momento desafiador? Deixe o seu comentário.