Diferenças entre e-commerce tradicional e delivery

A venda de produtos com um sistema de delivery em que a entrega é feita ainda no mesmo dia vem se mostrando um grande diferencial para atrair e conquistar novos clientes. Empresas que oferecem essa possibilidade ao público podem sair na frente das demais na satisfação de seus consumidores.

Entretanto, é preciso conhecer a fundo quais são as diferenças entre o e-commerce tradicional e delivery antes de oferecer essa opção ao público. De nada adiantaria implementar essa estratégia se os custos para colocá-la em prática comprometesse a margem de lucro nas vendas, não é?

Ao longo deste artigo, veremos as principais características do e-commerce tradicional e do delivery para que você possa aproveitar essas estratégias no seu negócio. Confira.

 

Como funciona o modelo de negócio do e-commerce tradicional?

Antes de falarmos sobre as novidades do delivery, vamos compreender como funciona o modelo de negócio tradicional do e-commerce. Para isso, basta lembrar das compras de produtos que já fez pela internet: você entra no site da empresa, escolhe os produtos desejados, realiza o pagamento e aguarda alguns dias (ou semanas) para receber a mercadoria em mãos.

Porém, do ponto de vista de uma empresa que vende produtos pela internet, esse processo é mais complexo e necessita de cuidados em diversas etapas. É necessário dar atenção a detalhes que afetam diretamente o desempenho do negócio e permitem que o cliente receba a sua mercadoria em mãos:

  • Definição do mix de produtos e cálculo do preço adequado;
  • Construção de um site que permite a compra dos produtos;
  • Ações de marketing para a divulgação da loja na internet;
  • Logística para que seja possível entregar os produtos para o cliente e valor cobrado pelo frete;
  • Formas de pagamento disponibilizadas.

Tudo isso precisa ser muito bem planejado e funcionar adequadamente para entregar uma boa experiência ao cliente. Pequenos detalhes podem fazer toda a diferença nesse momento: um frete muito caro, longo tempo para entrega do produto ou uma página de navegação complicada podem afastar potenciais clientes.

 

Delivery: uma nova tendência do mercado

No modelo tradicional de e-commerce, o cliente já está preparado para receber o produto adquirido apenas depois de alguns dias ou semanas, certo? Entretanto, grandes empresas de e-commerce brasileiro começam a disponibilizar uma alternativa mais atrativa para o público: o delivery feito ainda no mesmo dia.

Quando você pede uma pizza para o jantar, precisa aguardar apenas alguns minutos até que o produto seja entregue na sua casa, não é? A premissa adotada pelo sistema de delivery nos e-commerce funciona da mesma forma. Ao encomendar um notebook novo de uma loja, você pode recebê-lo ainda no mesmo dia para já começar a usá-lo.

Mas essa tendência pode chegar ainda mais longe. Com a popularização do modelo de e-commerce como uma alternativa para pequenas empresas locais, o cliente ganha ainda mais comodidade. Um supermercado da sua cidade que trabalha com esse modelo de negócio permite que o cliente realize as compras do mês pela internet e receba os produtos em sua casa após algumas horas.

Esse é um modelo de negócio que produz muitos benefícios para ambas partes. Enquanto o cliente ganha em comodidade e fica satisfeito, as empresas ganham um diferencial competitivo frente aos concorrentes.

 

Diferenças entre e-commerce tradicional e delivery

Na teoria, é inegável que oferecer um serviço de delivery ainda no mesmo dia para os clientes é uma ótima forma de se destacar no mercado. Porém, é importante compreender o que isso significa na prática para uma empresa.

Para facilitar esse entendimento, veremos quais são as principais diferenças entre e-commerce tradicional e delivery:

 

Gestão de estoques

A gestão de estoques de uma empresa que tem a proposta de entregar os produtos aos seus clientes no mesmo dia em que foi realizado o pedido precisa ser ainda mais eficiente que outros e-commerce. Afinal, permitir que um cliente realize um pedido de mercadorias que estão fora de estoque poderia causar uma grande confusão e a insatisfação do consumidor. Portanto, para que não haja ruptura a checagem deve ser constante, mais de uma vez durante o dia, o que difere da checagem diária do e-commerce tradicional.

Outra coisa que varia é o tamanho da área disponível para armazenagem. Em um delivery, os tamanhos dos estoques costumam ser menores devido à maior rotatividade e o tipo de mercadoria, como no alimentício, por exemplo. Já no e-commerce tradicional, as áreas de armazenagem são maiores, e dependendo do tamanho da operação, distribuídas em mais de uma cidade.

 

Estrutura dos processos internos

Enquanto no e-commerce tradicional se tem uma estrutura mais robusta e processos mais definidos, no delivery precisa-se de agilidade. Portanto, os processos devem ter um nível de complexidade menor, não deixando de serem bem estruturados, porém focados no recebimento e processamento dos pedidos em pouco tempo para que seja viável entregar as mercadorias no curto tempo.

 

Logística de entrega

Para que seja possível fazer uma entrega dentro de algumas horas, é necessário que a empresa conte com uma logística de entrega confiável e até com veículos para menores volumes, como motos e pequenas vans. Já em uma operação tradicional, as empresas utilizam caminhões, transportadoras ou até o serviço de correios para a entrega das mercadorias, uma vez que lidam com maiores volumes e com prazos mais elásticos.

Além disso, é preciso ter a consciência de que a opção pelo delivery só pode ser feita pelos clientes localizados em um raio de atendimento – que geralmente é dentro da cidade em que a empresa está localizada ou em uma região metropolitana. Somente até uma certa distância é possível contar com uma logística de entrega que funciona em poucas horas. Já no e-commerce regular, atual em regiões geográficas maiores, incluindo todo o território nacional.

 

Custos operacionais

Antes de começar a oferecer a possibilidade do delivery aos clientes, uma empresa precisa fazer uma boa análise sobre os custos operacionais envolvidos nessa decisão. Certamente, contar com entregadores contratados, ou terceirizados, disponíveis para entregas pontuais e manter os estoques sempre atualizados são atividades que envolvem o aumento nas despesas. Essas atividades podem ser compensadas com o aumento no número de vendas realizadas.

Geralmente, um e-commerce tradicional costuma ter custos mais elevados por demandar mais pessoas e terceiros envolvidos na operação.

 

Rapidez no atendimento

A chave para um e-commerce de delivery que consegue ter sucesso nas suas operações é a rapidez no atendimento. Do momento em que o cliente finaliza a compra no site até a hora em que o produto é entregue, passam apenas algumas horas. Ou seja, deve existir uma dedicação para que todo esse processo flua naturalmente.

Agora imagine o atendimento da Amazon, referência global. Em condições ideais, o pedido é enviado em até dois dias após a sua realização. Ou seja, por mais ágil que seja, a modalidade de delivery consegue ser mais rápida na entrega e também no acompanhamento via chat com o cliente.

 

As oportunidades de mercado que se abrem para as empresas que conseguem colocar em prática essa entrega feita no mesmo dia para os seus clientes são enormes. Em um mercado tão acirrado, no qual a instantaneidade ganha cada vez mais força, esse pode ser o grande diferencial para uma empresa atrair e fidelizar novos clientes.

 

Você já conhecia as diferenças entre um e-commerce tradicional e delivery? Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Deixe o seu comentário e até a próxima!