Uma das piores coisas que podem acontecer para uma empresa de comércio eletrônico é ver seu e-commerce fora do ar. Afinal, cada segundo que seu site está fora do ar significa que você está perdendo potenciais vendas – e causando uma má impressão nos visitantes.

Aqui estão algumas estatísticas a serem consideradas:

  • Mais de 50% dos usuários da web esperam que seu site carregue em três segundos ou menos;

  • Um atraso de um segundo na velocidade do site pode resultar em uma diminuição de 11% no tráfego;

  • 46% dos usuários não visitam novamente um site de baixo desempenho.

De certa forma, uma falha de site é semelhante a uma loja que fecha as portas durante o horário de funcionamento. Mas, além de perder dinheiro, você também está perdendo a confiança do cliente, o que pode ser prejudicial a longo prazo.

Nesta postagem, vamos entender como você pode evitar situação de e-commerce fora do ar. Confira.

O que significa um e-commerce fora do ar?

Um e-commerce fora do ar para de servir dados. Os recursos que você tem em seus sites, como imagens, blogs ou vídeos, ficam indisponíveis para o usuário.

Como você pode imaginar, isso significa que algo deu errado. Existem algumas maneiras diferentes de como um site pode ficar fora do ar – incluindo erro de código, problemas de plug-in, domínio expirado, entre outros.

Entretanto, o site é a alma do seu negócio. É como uma loja virtual que se comunica com os clientes e fecha suas vendas. Portanto, cada segundo de e-commerce fora do ar representa oportunidades perdidas.

Ou seja, o e-commerce fora do ar pode gerar uma série de consequências negativas para qualquer empresa, incluindo:

  • Experiência negativa do usuário;

  • Queda na reputação e credibilidade da empresa;

  • Classificação reduzida do mecanismo de pesquisa;

  • Receita perdida.

Quais são as causas mais comuns de um e-commerce fora do ar?

Afinal, o que causa uma situação de e-commerce fora do ar? Aqui estão algumas das causas mais comuns:

1. Erros de código

Qualquer engenheiro de software pode confirmar isso: o código é delicado. Mesmo um pequeno erro pode travar sites inteiros. Foi o que aconteceu com os servidores da Amazon em 2017. Os servidores que faziam parte do S3, o popular serviço de hospedagem na web da Amazon, travaram repentinamente, fazendo com que sites como Quora e Trello ficassem inativos por algumas horas. A causa? Um erro de digitação. Se você, ou um desenvolvedor, recentemente fez uma atualização ou manutenção no código do site, há uma boa chance de que esse seja o problema.

Solução

Para corrigir esse problema, você precisará de um desenvolvedor experiente. O desenvolvedor deve conduzir uma análise cuidadosa de onde o problema de código pode estar para que o site volte a funcionar. Se você fez atualizações, esse é um bom lugar para começar.

2. Problemas de plug-in

Todo e-commerce precisa de um plug-in. Quer seja um plug-in de mídia social ou um plug-in de seção de comentários, eles existem para adicionar funcionalidade a um site. Os plug-ins aumentam a experiência do usuário e melhoram o desempenho de um site. Mas, por serem plug-ins benéficos, eles podem ser perigosos. Muitos desses plug-ins são desenvolvidos por terceiros e nem sempre são construídos com segurança.

Solução

A primeira coisa que você pode fazer é excluir os plug-ins que instalou antes de o site travar. Para evitar que os plug-ins afetem a saúde do seu site no futuro, tente ter a menor quantidade possível instalada em seu site. Escolha alguns que são essenciais para sua empresa e exclua o restante. Certifique-se de que os plug-ins que você mantém estão sempre atualizados e são compatíveis.

3. Domínio expirado

Uma renovação de domínio perdida é tudo que você precisa para seu site ficar inativo. Um domínio expirado pode prejudicar seus negócios, decepcionar seus usuários e pode acabar custando milhares de reais em receita perdida.

Solução

A solução para um domínio expirado é simples. Vá para a sua conta de hospedagem e renove o domínio. Para evitar que isso aconteça no futuro, configure seu domínio para renovação automática. Você também pode definir um lembrete para o seu telefone ou calendário algumas semanas antes da data de expiração.

4. Provedor de hospedagem/erro de servidor

Cada site é hospedado em um servidor em algum lugar, gerenciado por um provedor de hospedagem. E esse host pode estar enfrentando alguns problemas que estão fora de seu controle, como mau tempo.

Em outros casos, podem ocorrer travamentos de site quando algo dá errado no servidor do site e resulta em um erro HTTP 500. Além disso, o erro 502 é outro erro do lado do servidor que pode levar ao tempo de inatividade, que acontece quando um servidor recebe uma resposta inválida de outro servidor. Ou o provedor de hospedagem pode estar em manutenção contínua. Se for esse o caso, você verá um Erro 503.

Solução

O que você pode fazer é pedir ao seu provedor para entrar em contato caso ocorra alguma falha grave no futuro, para que você não fique se perguntando o que deu errado. Além disso, se você acredita que não está trabalhando com o provedor mais estável, encontre um mais confiável para evitar erros de provedor de hospedagem no futuro.

5. Pico de tráfego

Todo dono de e-commerce sonha com um pico de tráfego. É simples: mais tráfego significa mais vendas. No entanto, se o seu site não estiver preparado para acomodar um aumento repentino no tráfego da web, você poderá perder mais do que ganhar. Picos de tráfego podem fazer com que os sites fiquem lentos e, eventualmente, saiam do ar.

Solução

Não se preocupe se este for o caso do seu site. Existem algumas maneiras de minimizar o risco de alto tráfego on-line travar seu site. Uma maneira é otimizar o desempenho do seu site. Você pode fazer isso usando uma rede de distribuição de conteúdo (CDN). Outra coisa que você pode fazer é atualizar seu plano de hospedagem para incluir mais recursos.

6. Ataque ao site

Você sabia que há um ataque de hacker a cada 30 segundos? Além do mais, 43% dos hackers atacam sites de pequenas empresas. As pequenas empresas são especialmente vulneráveis porque não podem pagar uma equipe de TI de alto nível, não têm um plano de backup e têm segurança de rede inadequada.

Esses hackers não apenas podem travar seu site, mas também podem coletar dados privados de seus clientes.

Solução

O que você pode fazer para proteger seu e-commerce é configurar corretamente a segurança da rede e usar um software antivírus. Mantenha seu software e plug-ins atualizados. Outra coisa a fazer é considerar o backup de todos os seus dados como proteção contra ataques. A segurança do site é uma das coisas mais importantes para evitar travamentos.

7. Erros de DNS

Uma das melhores coisas sobre o DNS é que ele elimina a necessidade de humanos memorizarem endereços IP. DNS é como os usuários encontram seu site na Internet. E, em alguns casos, problemas de DNS podem ser a causa da falha do site. Por exemplo, em 2016, ataques (DDoS) ao provedor de DNS tornaram o Twitter, Spotify, Shopify e outros sites inacessíveis a muitos usuários ao longo do dia.

Solução

Verifique com seu provedor de hospedagem se ele está enfrentando um ataque malicioso. Ou, se não, pergunte se fizeram alguma alteração recentemente. Se sim, então a única coisa que você pode fazer é sentar e esperar que a atualização ocorra.

Como evitar situações de e-commerce fora do ar?

Acabamos de abordar os principais problemas que levam a situações de e-commerce fora do ar – e já vimos algumas maneiras de contornar esses problemas. Além dessas medidas, as provedoras de plataformas de e-commerce, como a LifeApps, adotam diversas medidas para evitar, ou mitigar, qualquer possível ocorrência durante o uso do sistema.  

Veja algumas das boas práticas adotadas:

1. Investimento em uma boa hospedagem

É vital escolher uma boa hospedagem para evitar complicações desnecessárias. Trabalhar com grandes plataformas de hospedagem, contribui para uma alta disponibilidade e maior tranquilidade conforme o ritmo de visitas e compras aumenta.


2. Atualização/Evolução constante do site

O mercado de e-commerce é extremamente dinâmico e novos recursos são adicionados às plataformas continuamente. Contar com uma plataforma parceira que tenha um planejamento de evolução contínua, com entregas periódicas e que permita a contribuição dos usuários no processo de melhoria é essencial. 

Outro ponto importante é, que ao se trabalhar com versões únicas do backoffice, o planejamento das atualizações é feito para não atrapalhar o seu fluxo de trabalho, evitando paralisações e indisponibilidade de acesso.

3. Monitoramento do desempenho do e-commerce

Os provedores de e-commerce monitoram o tráfego de dados, integrações, transações e outros itens para garantir estabilidade no desempenho da plataforma. Com esse monitoramento, é possível perceber pontos de melhoria na estrutura, tentativas de fraude e invasão à segurança do e-commerce, que por terem um alto volume transacional, são mais visados que outros sites. Com isso, vários problemas são evitados.

4. Execução de testes e criação de backups

Sempre que mudanças são aplicadas no e-commerce, sejam melhorias ou correção de bugs, são feitos testes preventivos para simular o comportamento da plataforma em vários cenários, antes mesmo da atualização no ambiente de produção. 

Outro ponto importante são os backups regulares com o intuito de restabelecer o serviço rapidamente, caso qualquer imprevisto ocorra.

5. Utilização de um CDN

Um CDN, também conhecido como Content Delivery Network, é uma rede de servidores que entrega um sistema de conteúdo em cache de sites para usuários com base em sua localização. Um CDN ajudará a distribuir a carga para vários servidores, em vez de colocar tudo no servidor central, evitando que seu site trave.

Digamos que um servidor cai. Outros servidores poderiam compensar isso e, como resultado, os usuários continuariam a ter uma experiência perfeita.

Além disso, um CDN também ajuda a otimizar a entrega de seu conteúdo online. Ou seja, as pessoas não apenas entrarão em seu site, mas também farão download de coisas dele. Isso é particularmente útil para empresas que atendem clientes de diferentes partes do mundo – e também acelera o tempo de carregamento do seu site.

6. Integração do e-commerce com seu ERP

Ao promover a integração com ERP, o seu e-commerce pode funcionar com ainda mais eficiência. Os principais tipos de dados – como logística, pedidos, clientes e estoque – passam a funcionar de forma integrada. Mais do que isso, todo o processo de implantação do e-commerce se torna mais simples e eficiente, contribuindo para evitar falhas que poderiam levar a situações de e-commerce fora do ar.

Confira as informações sobre a integração entre a plataforma LifeApps e o ERP WinThor no MáximaCast #59:

Vender online exige uma série de cuidados para que a manutenção e a disposição do site estejam sempre em pleno funcionamento. Mas isso não precisa ser um problema no qual você lida separadamente com cada fator.

Para facilitar a implementação e manutenção de uma loja on-line é indicado ter uma plataforma para auxiliar nesse processo. A LifeApps tem como propósito garantir que o consumidor realize toda sua jornada de compras sem uma interrupção ou uma quebra de expectativa e toma diversas medidas para prevenir possíveis problemas, viabilizando a venda e proporcionando a melhor experiência de consumo.

Você gostou das dicas para evitar situações de e-commerce fora do ar? Está disposto a utilizar uma plataforma confiável para reduzir as chances de complicações para sua empresa? Então conheça os recursos da Lifeapps!