Checklist definitivo sobre margem de lucro e retorno de investimento em uma loja online.

por 28/08/2019Blog, Mercado

Parabéns! Você tomou a decisão de levar sua loja física para um e-commerce na prática. Mas será que realmente valeu a pena?

Não se deixe enganar: a tendência vista em algumas empresas como a Amazon, em abrir lojas off-line, não significa que o varejo online esteja morrendo. Pelo contrário, uma sinergia entre online e offline será a chave para o sucesso do varejo no futuro próximo.

Mas porque esse alerta logo no início do artigo, quando nosso objetivo é falar sobre e-commerce na prática?

Por uma razão muito simples, ao ver em suas buscas no Google iniciativas como da Amazon, um gigante no comércio online, abrindo um estabelecimento físico, muitas pessoas desavisadas atribuem um possível fim no modelo de negócio de vendas online através de e-commerce. 

Para você que está a procura de informações sobre como começar uma loja online com o pé direito, não entender o que acontece por trás da estratégia de inovação da Amazon, pode soar estranho, principalmente para quem está buscando consolidar a ideia sobre margem de lucro e retorno do investimento.

Quebrado essa possível objeção inicial e fechado este parêntesis, vamos voltar ao que realmente importa em nosso artigo, como avaliar a transição de vendas em loja física para a loja online? Esse checklist vai te ajudar a tirar suas dúvidas.

[Checklist: dica 01] Por que fazer a transição para um e-commerce na prática?

Uma pergunta básica, mas que tem tudo a ver quando se fala em margem de lucro e retorno do investimento (ROI). Afinal, de forma direta, vale a pena investir em uma loja online ou ter um aplicativo próprio para vendas pela Internet?

Se você ainda está em dúvida sobre como ou se deve fazer a transição online, vamos discutir por que essa é a coisa certa a fazer para o seu negócio. 

Embora seja ótimo ter um negócio físico em que os clientes possam interagir com os funcionários e os produtos ou serviços, um negócio físico tem suas limitações. 

Primeiro, você se limita a um conjunto menor de clientes quando tem apenas um negócio físico. As empresas online estão abertas para um alcance maior em escala local, nacional ou mesmo mundial, dependendo do seu negócio específico.

Além disso, e-commerces estão sempre disponíveis, não fecham em feriados ou depois de determinado horário. 

Ter um negócio online significa ser capaz de fazer vendas todos os dias do ano a cada hora do dia. Se você está mantendo sua vitrine física além do seu espaço virtual, poderá trazer mais negócios para seu local físico também. 

Os compradores online estão sempre pesquisando. Sua presença na Internet aumentará seu desempenho e ajuda diretamente na construção de sua marca. Como pode ver, você não tem nada a perder ao migrar seu negócio para o ambiente online.

[Checklist: dica 02] Não esqueça do Mobile!

Outro ponto importante que tem impacto diretamente na transição para o comércio eletrônico, é o investimento no Mobile, ou seja, ter um aplicativo próprio para a venda de produtos online.

Atualmente, a maioria dos consumidores acessa a internet a partir de seus smartphones. 

Isso significa que sua loja online precisa ser otimizada para visualização em dispositivos móveis. A maioria dos designs já é compatível com dispositivos móveis, mas você deve testar seu site regularmente para garantir que seja fácil navegar em dispositivos móveis. 

Por isso a importância de uma aplicativo próprio! 

Para se ter uma ideia, a média nacional indica que 71% dos consumidores brasileiros compram mais pelo celular do que pelo desktop, é o que indica a pesquisa feita entre  pela Mobile Time e Opinion Box em 2019, com brasileiros que possuem acesso a internet e a smatphones.

De acordo com dados do relatório Webshoppers 39, em 2018 o m-commerce, como é chamada a venda online feita através de dispositivos móveis, representou 35% (40,3 milhões) dos pedidos e 31,3% (R$ 16,7 bilhões) do faturamento do setor.

Esse número é muito grande para as empresas ignorarem! E isso tem relação muito forte com e-commerce na prática, em termos de lucro, retorno de investimentos e consolidação da marca. 

Sua loja deve ser tão bonita em dispositivos móveis quanto em uma área de trabalho para manter os espectadores envolvidos com sua empresa.

[Checklist: dica 03] Saiba o segredo da lucratividade de uma loja online

A natureza disruptiva do comércio eletrônico é inegável. Modelos de negócios inteiramente novos estão revolucionando a maneira como compramos. 

A experiência transformadora criada pelas plataformas digitais revolucionou totalmente o acesso aos produtos, redefiniu a conveniência e reduziu os preços em um amplo espectro de categorias de mercadorias e serviços. 

A mudança radical dos gastos em lojas de offline para compras on-line está causando uma enorme reviravolta na pegada física dos varejistas. Porém, se você não analisar adequadamente os resultados de sua loja on-line, é possível que esteja perdendo dinheiro e clientes, além de estar inviabilizando o seu negócio.

O ROI é a métrica que mostra os lucros gerados pelos investimentos executados em sua loja online. Ou, em outras palavras, em um e-commerce na prática, o Retorno sobre o Investimento mostra o que recebemos de volta a partir do capital aplicado, sendo ele lucrativo ou não.

Como podemos calcular o retorno sobre o investimento de uma ação? A fórmula é simples:

ROI = (LUCRO – INVESTIMENTO) / INVESTIMENTO x 100

Com os resultados obtidos a partir das estratégias adotadas na gestão de sua loja online, você poderá avaliar o ROI de tudo o que foi investido. Em caso de resultados negativos, o melhor caminho pode ser uma mudança dos planos.

Como acontece com qualquer outra estratégia de negócios, você precisa dedicar algum tempo e planejar seus esforços, de quais ferramentas você precisará, dos recursos necessários e do investimento total necessário para levar seu negócio de tijolo e cimento para o ambiente online.

[Checklist: dica 04] Calcule a margem de lucro do seu e-commerce na prática

A margem de lucro é uma métrica financeira usada para avaliar a saúde financeira e o modelo de negócios de uma empresa, revelando a proporção de dinheiro que sobrou das receitas após a contabilização do custo das mercadorias vendidas.

E porque você deve calcular a margem de lucro do seu e-commerce na prática?

Nesse ponto você não pode ter achismos. A margem de lucro é essencial porque fornece uma visão real de como sua receita atual atende ao restante de seus negócios e se está lucrando ou perdendo. Isso tem um impacto de longo alcance em suas opções estratégicas e táticas de como administrar seus negócios.

O cálculo da margem de lucro deve ser uma prioridade para todo empreendedor, seja ele migrando do offline ou não. A lucratividade gerada pelo seu e-commerce pode ser determinante para o futuro do seu negócio. 

É ótimo dizer aos amigos que você tem uma empresa de 6, 7 ou 8 dígitos com base na receita. Mas talvez você esteja trabalhando 80 horas por semana para conseguir isso, e nem sequer é lucrativo ou lhe paga um salário de valor de mercado.

[Checklist: dica 05] Valeu a pena? Compare a métrica mais importante no varejo entre comércio eletrônico e lojas físicas

Como passamos a maior parte do tempo falando sobre o que significa levar sua loja física para uma on-line, é justo ao final verificar se valeu realmente a pena fazer essa transição. 

De uma maneira geral, sua loja física e a de comércio eletrônico são as mesmas. Ambos são pontos de comércio onde bens e serviços são trocados por moeda, e dependem de clientes e excelente serviço ao cliente para prosperar.

Por mais que o fator financeiro seja considerado o determinante no comparativo entre os dois formatos de varejo, existe uma métrica muito mais importante e que deve ser considerada como prioridade em sua avaliação final.

A satisfação do cliente.

Julgar o desempenho de uma loja simplesmente considerando seus resultados de vendas é como avaliar a saúde de um paciente perguntando apenas como ele acordou no dia ou como se sente no exato momento do exame. Isso não faz sentido.

Os resultados de uma avaliação errada a respeito da satisfação dos seus clientes em um ambiente online podem ser perigosos. Não acompanhar esses resultados, fazendo um comparativo com o desempenho no offline, apesar de suas diferentes características, pode se tornar um caminho para o fim do negócio. 

Apesar de ser algo óbvio para grande maioria dos varejistas, cair nessa espiral descendente sobre a satisfação do cliente é mais comum do que se pensa. 

Para lojas físicas e on-line, a experiência do cliente é o que determina quanto dinheiro você ganha, quantos clientes voltam a comprar e o que acontece com sua empresa no longo prazo.

Para se ter uma ideia, há uma chance de 86% de que um cliente satisfeito esteja disposto a pagar mais por seus produtos e serviços. Isso significa que o aumento da satisfação do cliente online provavelmente resultará em aumento da receita do negócio. 

Muitos clientes satisfeitos provavelmente compartilharão suas experiências em redes de mídia social e farão comentários em outros sites. Isso é exatamente o que você quer para o seu negócio.

O mesmo vale para os clientes que tiveram experiências ruins com as empresas. Esses clientes farão críticas negativas sobre o negócio. Você deve tentar evitar isso o máximo possível.

Se você está fazendo a transição do seu negócio físico para um negócio on-line, já está na metade do caminho. A parte difícil acabou. 

Você já tem uma base de clientes e sabe o que é necessário para que uma empresa funcione sem problemas. Com tantas plataformas de e-commerce e estratégias de marketing hoje em dia, é mais fácil do que nunca começar um negócio online. 

Para realmente ter uma vantagem sobre a concorrência, realmente valorize seus relacionamentos atuais e futuros com os clientes! Concentre-se nas mesmas coisas que você fez com o seu negócio físico e não tenha medo de aprender novas técnicas se quiser ver o seu negócio disparar.

Relacionados