O uso do markup no e-commerce é uma das estratégias que pode ser usada para calcular o preço de venda ideal para os produtos comercializados. Trata-se de uma fórmula que considera todas as variáveis importantes para chegar ao preço final: custos fixos, custos variáveis e margem de lucro.

Um dos grandes desafios dos gestores é justamente acertar na precificação dos produtos que chegam ao consumidor. Por um lado, é preciso manter preços competitivos para atrair os clientes. Por outro lado, é fundamental considerar todos os custos da empresa para garantir uma boa margem de lucro.
 

Se você ainda sente insegurança em meio a todos esses fatores, usar o markup no e-commerce é uma ótima ideia. Neste artigo vamos entender melhor como utilizar esse índice. Confira!
 

O que é o markup?

O markup é um índice calculado para auxiliar na precificação dos produtos. Isso é feito a partir dos custos fixos custos variáveis e a margem de lucro desejada.
 

O grande trunfo do markup é levar em consideração todas as despesas que a empresa tem para garantir que um produto chegue nas mãos do consumidor. Dessa forma, é possível chegar a um preço de venda justo e evitar prejuízos.
 

Benefícios do markup no e-commerce

Imagine um e-commerce criado com a proposta de vender materiais de construção. Se determinado produto custa R$ 50, revendê-lo por R$ 75 geraria um lucro de R$ 25, certo?
 

Nada disso. Essa é uma lógica muito comum entre os gestores, mas leva a uma ilusão sobre a real lucratividade alcançada. Afinal, neste cálculo é considerado somente o custo do produto revendido – sem considerar o valor do transporte, armazenagem, logística e todas as despesas fixas do negócio.
 

Ao analisarmos esse exemplo, é possível entender melhor como o markup no e-commerce ganha tanto valor. Veja as principais vantagens de usar esse índice:

  • Aumenta os lucros: quando você leva em consideração o preço calculado pelo markup, isso pode ajudá-lo a definir preços estratégicos para seus produtos que podem gerar lucro para o seu negócio. Afinal, você terá a capacidade de compensar quaisquer despesas incorridas durante o desenvolvimento das atividades.

  • Recuperação de custos: como você tem o potencial de obter lucro ao aumentar o preço de seus produtos, pode destinar esse lucro para o que gastou com todos custos fixos e variáveis. Isso pode evitar que você enfrente problemas financeiros no futuro.

  • Cálculo simples: embora a criação de uma estratégia de preços envolva vários números importantes, o cálculo do markup no e-commerce é bastante fácil graças à sua fórmula simples.

  • Segurança na tomada de decisão: você fica inseguro sobre a possibilidade de dar descontos em campanhas? Ou, então, não compreende totalmente a lucratividade do seu negócio? Certamente o markup no e-commerce pode fornecer insights valiosos.
     

O que compõe o markup no e-commerce?
 

Para usar o markup no e-commerce é preciso conhecer muito bem todas as variáveis que fazem parte do cálculo:

  • Custos fixos

  • Custos variáveis

  • Margem de lucro

Vamos entender melhor cada uma delas?
 

1. Custos fixos

Os custos fixos são aqueles que se mantêm mês a mês. Eles não mudam com base em seu volume de produção ou volume de vendas.
 

Esses custos são o preço para manter o negócio funcionando. Mesmo que sua organização não esteja fazendo vendas, você ainda deve pagar os custos fixos. Independentemente de quantos produtos você venda, seu e-commerce ainda terá que pagar pela hospedagem do site ou pela locação da sala comercial.
 

Os custos fixos estão em sua demonstração de resultados e no balanço patrimonial. Eles tendem a permanecer os mesmos de um mês para o outro. É bom tê-los por que são uma despesa previsível e você sabe que precisará de pelo menos essa quantia para continuar no negócio.
 

No entanto, essa previsibilidade vem com efeitos colaterais. Por serem fixos, pode ser difícil alterá-los. Custos como aluguel e seguro não serão fáceis de mudar – e os aumentos de custo provavelmente ocorrerão durante um período de tempo.
 

Exemplos de custo fixo para comércio eletrônico:

  • Taxas de assinatura para plataformas de comércio eletrônico

  • Taxas de hospedagem na web

  • Serviços de utilidade pública

  • Acesso à internet

  • Ações de marketing

  • Salários de funcionários

  • Ferramentas e softwares contratados
     

2. Custos variáveis

Custos variáveis são aqueles que mudam de um período para outro. Estão na categoria de custo das mercadorias vendidas. Seu custo variável total é a quantidade de dinheiro que você gasta para comprar, produzir e vender seus produtos. Isso inclui seus custos de compra dos produtos (e os gastos acessórios relacionados a isso).
 

Conforme o volume de vendas e o volume de produção aumentam, seus custos variáveis também aumentam. Esses custos também estão associados à receita, pois quanto mais você vende, mais receita você ganha. Se você vende sacolas de pano, por exemplo, e por causa dos feriados, sua receita de vendas dobra – você verá que seus custos variáveis, incluindo o custo das sacolas de pano no atacado, também aumentam.
 

O que você fará para reduzir seu custo variável por unidade e trabalhar para aumentar sua margem de lucro varia dependendo do tipo de e-commerce que você está administrando.
 

Por exemplo, se você dirige um negócio de canecas, pode reduzir suas despesas comerciais variáveis treinando seus funcionários para aumentar os níveis de produção para que pintem mais canecas por hora. Ou você pode encontrar um fornecedor mais acessível para suas canecas em branco. Ou você pode usar uma tinta mais barata. Fazer essas três coisas pode ter um grande impacto em seu lucro e fluxo de caixa.
 

Dito isso, você precisa ser capaz de reduzir o custo de produção de seus produtos, sem sacrificar a qualidade. O nível de qualidade deve ser o mesmo de antes – e se houver erros nas palavras pintadas nas canecas, como um acento faltando, porque sua equipe está com pressa ou parte da tinta sai depois que os clientes lavam as canecas, você terminará com clientes insatisfeitos e começará a perder negócios.
 

Exemplos de custos variáveis para comércio eletrônico:

  • Custo do produto

  • Matérias-primas (para itens artesanais)

  • Embalagens dos produtos

  • Publicidade em mídia social

  • Pagamentos a fornecedores

  • Custos de envio e manuseio

  • Impostos que incidem sobre vendas
     

3. Margem de lucro

Por fim, o markup no e-commerce também deve levar em consideração a margem de lucro desejada. Até este momento, podemos chegar a um preço do produto que paga todas as despesas da empresa. Agora temos que pensar no lucro que as vendas podem gerar.
 

Ou seja, a margem de lucratividade indica a lucratividade de um produto, serviço ou negócio. Ela [e expressa como uma porcentagem: quanto maior o número, mais lucrativo é o negócio.
 

Se você definir uma margem de lucro de 100%, isso significa que você espera obter uma lucratividade duas vezes maior que os custos para a venda do produto. Já se deseja uma margem de lucro de 20%, o preço do produto será menor – mas o retorno financeiro para o seu negócio também será inferior.
 

Como calcular o markup no e-commerce?
 

O cálculo de markup no e-commerce é feito a partir dos elementos que identificamos acima. Eles devem ser aplicados a uma fórmula nas grandezas na forma de percentual:

Markup = 100 / 100 – (Custos Fixos + Custos Variáveis+ Margem de Lucro)
 

Com base nessa fórmula, tudo o que você precisa é aplicar os valores identificados nas suas operações.
 

Quer entender ainda melhor como calcular o markup no e-commerce? Então vamos conferir um exemplo prático.
 

Imagine que você coordene um e-commerce que comercializa materiais de jardinagem e deseja calcular o markup para um vaso de planta.
 

Para revender esse vaso, os custos fixos representam 10% sobre as unidades dos produtos vendidos e os custos fixos representam 30%. Além disso, você espera obter uma margem de lucro de 20% sobre o produto. Dessa forma, fazemos o seguinte cálculo:

Markup = 100 / [100- (CF+CV+ML)]

Markup = 100 / [100-(10+30+20)

Markup = 100 / [100-60]

Markup = 100 / 40

Markup = 2,5

Como calcular o preço de venda?

Descobrimos que o markup do vaso para planta é 2,5. Mas o que isso quer dizer na prática?
 

Para que o markup no e-commerce seja uma informação realmente útil, precisamos aplicá-lo para calcular o preço de venda ideal desse produto. Para isso, basta multiplicar o índice obtido pelo custo unitário de cada produto.
 

No exemplo do vaso de planta, vamos considerar que o preço de compra foi de R$ 55 – considerando o preço da mercadoria, seu transporte e outros custos para que ele chegasse até sua empresa. Nesse caso, o cálculo do preço de venda seria feito dessa forma:

Preço de venda = Markup x Custo da mercadoria

Preço de venda = 2,5 x 55

Preço de venda = R$ 137,50

Ou seja, R$ 137,50 é o preço mínimo que você deve cobrar do cliente para que consiga pagar todos os custos fixos, custos variáveis e obter uma lucratividade de 20%. Com base nisso, você ainda pode fazer alguns ajustes no cálculo do markup para avaliar o preço final com margens de lucro maiores ou menores – considerando o máximo de desconto que poderia dar ao seu consumidor.
 

Está preparado para usar o markup no e-commerce?

Vimos neste artigo como o markup no e-commerce pode ser utilizado para precificar os seus produtos de uma ótima maneira, certo? Com uma simples fórmula de cálculo, você garante que os custos sejam cobertos e obtém a margem de lucro desejada.
 

Entretanto, antes de sair utilizando o markup no e-commerce, é preciso tomar cuidado com alguns detalhes que fazem toda a diferença:

  • Lembre-se de somar o percentual do frete e todos os outros custos que estão associados à compra de mercadorias de fornecedores;

  • Teste o cálculo com diversas margens de lucro para obter mais informações sobre os valores máximos e mínimos que você pode praticar sem ter prejuízo;

  • Considere o contexto do mercado para ajustar o preço dos seus produtos – avaliando os valores praticados por concorrentes e os hábitos dos clientes;

  • Reavalie o markup periodicamente conforme seus custos fixos e variáveis vão sofrendo modificações;

  • Não esqueça de considerar todos os custos que estão associados exclusivamente ao e-commerce – como as despesas para manter sua página no ar, grande necessidade de armazenamento, gateways de pagamento, entre outros.
     

-> Confira também: Políticas de preço: como definir no e-commerce e em sua força de vendas

 

Você gostou das informações sobre o uso do markup no e-commerce? Você já utiliza esse índice para calcular o preço de venda dos seus produtos? Deixe o seu comentário!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *