Você já deve ter ouvido falar do novo PIX, certo? Esse novo meio de pagamento está chegando para revolucionar o e-commerce! A eficiência dos sistemas de pagamentos online sempre foi um fator decisivo para o sucesso de qualquer e-commerce, não é? Afinal, uma empresa que comercializa produtos por meio da internet necessita entregar segurança e agilidade para os clientes – garantindo que as operações possam ser executadas com facilidade.

Com o PIX, seu e-commerce tem muito a ganhar. Trata-se de um novo meio de pagamento que está sendo criado pelo Banco Central para simplificar as transações financeiras no Brasil. Essa facilidade promete melhorar os meios de pagamentos digitais, podendo se tornar uma grande aliada aos e-commerces.
 

Quer entender melhor o que é o PIX e como seu e-commerce pode se beneficiar com esta novidade? Acompanhe!
 

O que é PIX?

Já imaginou se fosse possível realizar transações financeiras em tempo real e 24 horas por dia, 7 dias por semana? É exatamente isso que o PIX promete oferecer.
 

O PIX é a nova tecnologia brasileira de pagamentos instantâneos anunciada pelo BACEN (Banco Central). O Circular nº 4.027, de 12 de Junho de 2020 institui o pagamento instantâneo no Brasil:

Art. 1º Ficam instituídos no Banco Central do Brasil o Sistema de Pagamentos Instantâneos (SPI) e a Conta Pagamentos Instantâneos (Conta PI).

Parágrafo único. O SPI é a infraestrutura centralizada de liquidação bruta em tempo real de pagamentos instantâneos que resultam em transferências de fundos entre seus participantes titulares de Conta Pagamentos Instantâneos (Conta PI) no Banco Central do Brasil.

Para compreender melhor o que é pagamento instantâneo, podemos usar a própria definição do BACEN:

Pagamentos instantâneos são as transferências monetárias eletrônicas na qual a transmissão da ordem de pagamento e a disponibilidade de fundos para o usuário recebedor ocorre em tempo real e cujo serviço está disponível durante 24 horas por dia, sete dias por semana e em todos os dias no ano.
 

Ou seja, estamos falando sobre transferências financeiras que ocorrem diretamente da conta do usuário pagador para a conta do usuário recebedor, sem qualquer necessidade de intermediários. Com isso, teremos operações mais ágeis e com menores custos de transação.
 

PIX, TED e DOC

Atualmente, as principais formas de transferências financeiras são o TED e o DOC:

  • TED: o dinheiro cai no mesmo dia se realizado antes das 17h e permite transferências maiores que 5 mil reais.

  • DOC: o dinheiro cai no dia seguinte e o valor máximo é de 4999,99 reais.
     

Entretanto, tanto o TED quanto o DOC não permitem a realização de operações em feriados, fins de semana ou fora do horário comercial. Além disso, os bancos costumam cobrar uma taxa para a realização dessas transações.
 

Por outro lado, o PIX possui uma proposta completamente diferente e mais benéfica para todos: será possível realizar transações em tempo real em qualquer dia ou horário – incluindo fins de semana, feriados e fora do horário comercial. Além disso, espera-se que muitos bancos não cobrem taxa alguma para o uso dessa tecnologia.
 

Como funcionam os pagamentos instantâneos?

Para utilizar o PIX, será necessário que o usuário tenha uma conta com um prestador de serviço de pagamento – que pode ser um banco, um intermediador ou uma instituição de pagamento. A partir disso, ele poderá solicitar transferências sem a necessidade de inserir todos os dados do recebedor (como banco, agência, conta ou CPF). Em poucos segundos, a transação será finalizada.
 

Ou seja, em vez de inserir todas as informações (como estamos acostumados a fazer), o PIX permite que as transações sejam feitas de diversas formas:

  • Inserção manual dos dados do recebedor (nome completo, CPF, CNPJ e/ou outros).

  • Inserção de chave de endereçamento que identifica o recebedor (e-mail, número do celular ou um documento).

  • QR Code Recebedor, que é gerado pelo recebedor.

  • QR Code Pagador, que indica os dados do pagador e deve ser apresentado ao recebedor.
     

As partes que compõem o sistema de pagamento instantâneo

Veja quais são as partes que participam do PIX:

  • Pagador: usuário pagando ou transferindo dinheiro

  • Recebedor: usuário que recebe o valor da operação

  • Participante direto: bancos, bandeiras e todas instituições financeiras que têm contas no BC conectada à infra de liquidação

  • Participante indireto: fintechs, contas de pagamento e outras instituições que não têm conta no BC e que usam um participante direto para realizar as liquidações

  • Infraestrutura única de liquidação: BACEN

  • Provedor de serviço: softwares e instituições nas quais o usuário detém contas de pagamento
     

Quem pode usar o PIX?

Segundo dados do Banco Central, as transferências pelo PIX poderão ser utilizadas em diversas transações. Veja quais são elas:
 

  • Transações P2P: transações realizadas entre pessoas físicas.

  • Transações P2B: transações entre pessoas e empresas – sendo que o comércio eletrônico também entrará nessa categoria.

  • Transações B2B: transferências entre empresas diferentes.

  • Transações P2G e B2G: transferências para órgãos governamentais. Elas podem ser de uma pessoa física para o órgão (P2G) ou de uma empresa para o governo (B2G).

  • Transações G2P e G2B: transações de órgãos governamentais para pessoas físicas (G2P) ou empresas (G2B).
     

Como se cadastrar no PIX?

Você ficou interessado em levar o PIX para o seu e-commerce? Para isso, será preciso cadastrar uma “chave PIX” – que substitui os seus dados bancários quando você for receber dinheiro pelo sistema de pagamento instantâneo.
 

Essas chaves podem ser as seguintes informações:

  • Número do celular

  • Endereço de e-mail

  • CNPJ

Além disso, se você não quiser nenhuma dessas chaves, a instituição pode gerar um número aleatório para a sua chave PIX. Também é importante ressaltar que o cadastro das chaves é completamente gratuito para pessoas e empresas de todo tamanho.
 

Confira a seguir um passo a passo para se cadastrar no PIX:
 

  1. Conta no banco. O primeiro passo para se cadastrar no PIX é ter uma conta em banco ou carteira digital – afinal, esse sistema funciona como uma funcionalidade online dentro do aplicativo ou site do seu banco.

  2. Selecionar o banco ou fintech. Caso você tenha conta em mais de um banco, é importante que você selecione em qual ou quais instituições você quer receber o dinheiro enviado por PIX. Você tem direito pelo menos três chaves PIX pode cadastrar todas elas em um único banco – mas pode também designar cada chave para um banco diferente.

  3. Registro das chaves. Você deve acessar o site ou o aplicativo da instituição financeira em que você possui conta. Neste ambiente você encontrará as instruções para cadastrar suas chaves PIX.

  4. Confirmação. Haverá um período para que a sua chave seja confirmada. Uma vez que o cadastro é enviado ao Banco Central ele confere as informações, cruza dados e então confirma o cadastro. Você será avisado pelo seu banco que sua chave está cadastrada.

  5. Uso do Pix. O PIX será liberado para uso no dia 16 de novembro. A partir desta data, já será possível a realização de transferências financeiras com mais facilidade!
     

Quais as principais vantagens do PIX para o e-commerce?

Do ponto de vista do e-commerce, qualquer forma de simplificar as transações financeiras é uma ótima notícia, não é? Isso significa que será possível tornar o processo de checkout mais fácil para os consumidores – gerando mais resultados de vendas!
 

Confira este MáximaCast em que falamos sobre como ter uma visão afiada para identificar oportunidades de crescimento explorando o mercado digital:

https://w.soundcloud.com/player/?url=https%3A//api.soundcloud.com/tracks/885802705&color=%23ff5500&auto_play=false&hide_related=false&show_comments=true&show_user=true&show_reposts=false&show_teaser=true

Veja a seguir quais são as principais vantagens do PIX para o comércio eletrônico:
 

Agilidade no recebimento

Segundo informações do Banco Central, o PIX deve levar apenas 10 segundos para a efetivação dos pagamentos e transferência. Trata-se de algo muito diferente do que ocorre atualmente, com transações que levam horas (ou dias) para serem concretizadas.
 

As empresas sempre preferem receber o pagamento mais rapidamente e a liquidação imediata reduz ou elimina os processos que levam vários dias. Isso é especialmente relevante para pagamentos de consumidor para empresa (C2B), permitindo que as empresas possam processar a maioria de seus pagamentos sem problemas.
 

Simplificação do reembolso

Reembolsos são situações comuns no e-commerce – e sempre podem levar a imprevistos. Com o uso do PIX, torna-se mais fácil garantir a devolução do dinheiro para os clientes com facilidade e baixos custos.
 

Padronização dos processos

O recebimento por meio de diversos meios de pagamento pode levar a um aumento da complexidade dos controles financeiros, não é? Como o PIX é uma forma mais benéfica para todas as partes, será possível centralizar as entradas e saídas de recursos do e-commerce.
 

Como os consumidores e as empresas podem enviar e receber pagamentos mais rapidamente, isso pode permitir uma gestão mais fácil do fluxo de caixa e orçamentos, gastos e investimentos mais previsíveis.
 

Otimização da experiência do cliente

Se as soluções de pagamento mais rápidas forem projetadas para processar pagamentos 24 horas por dia, 7 dias por semana, os usuários finais podem se beneficiar da flexibilidade adicional para concluir transações rapidamente.
 

Ou seja, o PIX proporciona uma experiência mais satisfatória ao cliente. Ele pode finalizar o pagamento pelas suas compras com agilidade e segurança – sem a necessidade de passar por diversos processos para inserir todos seus dados.
 

Aumento da segurança

Os pagamentos instantâneos podem ajudar a reduzir muitos dos riscos no sistema atual, diminuindo o atraso entre o início do pagamento, a compensação e a liquidação. A confirmação oportuna de bons fundos e a certeza da finalidade do pagamento podem beneficiar as instituições financeiras e seus clientes.
 

Ou seja, há amplos benefícios a serem obtidos em relação a segurança. O PIX atende a altos padrões de gerenciamento de risco, segurança e proteção. Com isso, tanto seu e-commerce quanto os consumidores podem ter uma experiência mais segura.
 

Redução de custos

Outra das vantagens do PIX para e-commerces é a redução de custos para a realização das transações. As tarifas serão definidas pelas instituições financeiras, mas o custo de uma operação com o novo sistema será mais econômico – sendo que muitos bancos já prometem tarifa zero para esse serviço.
 

Gestão de fraude

Receber pagamentos online sempre carrega um risco, não é? Qualquer e-commerce já precisou lidar com fraudes ou consumidores inadimplentes. Com o PIX, será possível centralizar as opções de pagamento para o cliente e reduzir os riscos de fraude.
 

Diferencial competitivo

Os comércios eletrônicos que se adaptarem ao PIX com mais agilidade e eficiência podem obter um ótimo diferencial competitivo no mercado. Ao entregar uma experiência mais satisfatória aos consumidores e facilitar o pagamento, muitas boas oportunidades de vendas podem ser aproveitadas.
 

Aqueles clientes que abandonam o carrinho no último instante por dificuldades no pagamento serão cada vez mais raros no seu e-commerce. Com a possibilidade de pagamento instantâneo, todo o processo será mais simples e intuitivo – permitindo que sua empresa alcance seus objetivos de vendas.
 

Produtividade interna

Além de todos esses benefícios no relacionamento com o cliente e no recebimento de pagamentos, o PIX também gera vantagens para a produtividade interna da sua empresa. Afinal, toda essa simplicidade também estará presente em todas outras transações financeiras.
 

Ou seja, atividades comuns de um e-commerce – como o pagamento de fornecedores ou recolhimento de tributos – podem se tornar mais práticas. Além disso, todos os controles financeiros também devem ficar mais completos e atualizados.
 

Você já conhecia todas essas informações sobre o PIX? Gostou das novidades para o seu e-commerce? Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Deixe o seu comentário.