Se você tem um e-commerce, sabe que precisa se preocupar com uma série de itens para garantir uma boa experiência de compra para os seus clientes. Entre eles, se destaca a necessidade de um bom sistema antifraude, para ter uma proteção contra possíveis falhas ou golpes.

Ao escolher uma plataforma de e-commerce, portanto, é muito importante que você observe se ela faz a integração com sistemas de segurança, para evitar problemas para o seu negócio e, principalmente, para os seus clientes.
 

Como existem muitas dúvidas sobre o assunto, desenvolvemos este artigo. A seguir, explicaremos tudo o que você precisa saber para escolher um bom sistema antifraude no e-commerce. Acompanhe!
 

O que são e como funcionam os sistemas antifraude para e-commerce?

Os sistemas antifraude são ferramentas incorporadas à sua plataforma de e-commerce, que evitam que golpes sejam aplicados em seus clientes e, também, na sua loja virtual.
 

Vale lembrar que, de acordo com uma pesquisa divulgada no portal E-commerce Brasil, as lojas virtuais brasileiras sofrem uma tentativa de fraude a cada cinco segundos. O número é bastante elevado, e é por isso que você deve ficar atento.
 

Também é relevante que você compreenda que os sistemas antifraude não conseguem evitar totalmente as ações dos golpistas – porém, eles contribuem para que a maioria dos golpes sejam frustrados.
 

Por que investir em um sistema antifraude para e-commerce?

O primeiro fator que justifica o investimento em um sistema antifraude para e-commerce é evitar que você perca dinheiro. Um exemplo clássico são situações de chargeback, ou seja, quando um cliente pede estorno ou reembolso por não reconhecer uma compra que ele fez.
 

Outra situação bastante comum são as invasões do sistema. Hackers podem tentar invadir as suas plataformas para roubar dados de clientes, por exemplo. Nesse caso, vale lembrar que a responsabilidade é sua, mesmo que não tenha culpa de ter sido roubado.
 

A nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) prevê que as empresas são responsáveis pelo armazenamento de dados dos clientes que compartilham informações com ela. Ou seja, se um invasor roubar as informações do cartão de crédito dos compradores do seu e-commerce, por exemplo, a responsabilidade será do seu negócio.
 

Logo, investir em um sistema antifraude para e-commerce é fundamental para evitar que esse tipo de problema aconteça. Afinal, as multas aplicadas pelo não cumprimento da LGPD podem chegar a R$ 50 milhões, um valor alto e que pode levar muitos negócios à falência.
 

Além disso, quando o seu e-commerce está envolvido em um problema de fraudes, não são apenas prejuízos financeiros que estão em jogo. Você também pode ter que enfrentar danos à sua reputação e imagem.
 

As pessoas que foram vítimas de fraudes, como ter os dados roubados depois de comprar na sua loja, tendem a comentar isso com os seus amigos e familiares, bem como fazer publicações nas redes sociais, atingindo milhares de pessoas.
 

Os danos de imagem podem fazer com que muitos possíveis clientes deixem de comprar na sua loja, percam a confiança nos seus serviços e não voltem a fazer negócios com você. É por isso que investir na prevenção é tão importante.
 

Quais são os principais tipos de fraudes que ocorrem em e-commerces?

Também é importante conhecer os principais tipos de fraudes que ocorrem em e-commerces, para que você saiba como se proteger de cada uma delas. Observe, a seguir, uma lista com os casos mais comuns!
 

Fraude efetiva

Esse tipo de fraude acontece quando uma compra é feita por um cartão de crédito roubado ou clonado. Dessa forma, o processo ocorre normalmente, o pedido é transportado e entregue na casa do golpista.
 

Depois, quando perceber uma compra que não realizou na fatura do cartão, a pessoa que foi vítima do golpe entrará em contato com a operadora e solicitará o chargeback. É bem provável que a sua loja tenha que indenizar esse comprador, e você arque com o prejuízo, principalmente se a compra for de um valor alto.
 

Além do custo com o produto em si, você também arca duas vezes com os custos logísticos para que o item seja transportado novamente, dessa vez, até a casa correta do cliente.
 

Autofraude

A autofraude é bastante comum de acontecer em e-commerces. Nesse caso, o fraudador é o cliente, que deixa de ser uma vítima, como acontece no caso da fraude efetiva. 
 

Na autofraude, o cliente faz uma compra, recebe o produto e depois solicita um estorno, dizendo que não recebeu o item que adquiriu, para que a loja reembolse o dinheiro.
 

Caso desconfie que está sendo vítima de uma autofraude, o gestor do e-commerce pode buscar saber mais detalhes da compra, rastreando os pedidos. A maioria das encomendas só é entregue quando algum responsável assina um documento, logo, é possível desvendar esse tipo de situação, por mais que seja um pouco demorado.
 

Fraude amigável

A fraude amigável é bastante similar à efetiva, mas nesse caso o golpista é um amigo, familiar ou pessoa próxima do “cliente”. É o que acontece quando um filho adolescente faz uma compra com o cartão de crédito da mãe, sem pedir autorização ou informar, por exemplo.
 

Quando a fatura do cartão de crédito chega, o titular não reconhece a compra e solicita o reembolso. Mesmo sem saber, ela estará fraudando o seu e-commerce, e isso pode resultar em problemas jurídicos para ambas as partes.
 

Password cracking

Nesse tipo de fraude, os golpistas utilizam recursos de informática para invadir os sistemas dos e-commerces e descobrir as senhas dos usuários. Dessa maneira, o invasor muda as informações de cadastro e solicita a troca do endereço de entrega das compras realizadas por um cliente real.
 

Assim sendo, a compra não será entregue na casa do cliente que fez a compra, mas, sim, do golpista. Insatisfeito com a demora da entrega, o comprador entrará em contato com o seu e-commerce, que será obrigado a devolver o valor pago ou enviar uma nova mercadoria para o cliente.
 

Controle de conta

Essa fraude também é bastante comum de acontecer, merecendo atenção dos donos de lojas virtuais. Os golpistas criam uma espécie de máscara com o mesmo formato e identidade visual de e-commerces verdadeiros.
 

Assim, os clientes fazem as compras, pensando que estão navegando no site de uma empresa séria. No entanto, eles estão oferecendo, involuntariamente, os seus dados pessoais e financeiros para meliantes.
 

Conhecido como phishing, esse tipo de roubo de dados pode fazer com que cartões de créditos sejam clonados e os golpistas utilizem informações de outras pessoas para dar golpes no seu e-commerce.
 

Como funciona um sistema antifraude para e-commerce?

Os sistemas antifraude são programas que analisam as informações fornecidas pelos clientes, por meio de redes neurais e de recursos de inteligência artificial. Dessa forma, quando alguém realiza compras em um site, pode ser monitorado.
 

Com esse programa, é possível fazer um mapeamento dos usuários durante toda a navegação, sabendo de onde eles vieram, qual é a geolocalização do comprador, a detecção de proxy e outras informações relevantes.
 

Essa análise gera um score, ou seja, uma nota, que informa se o pedido do cliente deve ser aceito ou não. Os recursos de inteligência artificial já conseguem identificar sozinhos os pagamentos suspeitos, assim, quando eles ocorrem, é feito um encaminhamento para outras verificações de segurança.
 

Quais as vantagens de um sistema de segurança digital?
 

Ao investir em meios para que os seus clientes façam uma compra segura, você terá diversos benefícios no seu negócio. Entre eles, destacamos os relacionados a seguir:

  • Despreocupação do proprietário em caso de suspeitas de golpes ou fraudes;

  • Redução ou ausência total de fraudes e golpes no e-commerce;

  • Praticidade para avaliar pagamentos dos clientes;

  • Proteção para a empresa e seus clientes;

  • Redução de prejuízos financeiros.
     

Além de obter esses benefícios, a sua empresa evita uma série de problemas mais graves, como as ações judiciais, por exemplo.
 

O que observar ao escolher um sistema antifraude para e-commerce?

Ao escolher um sistema antifraude para e-commerce, uma série de fatores devem ser observados. Veja, a seguir, os principais deles!
 

Custo

O preço pago por um sistema antifraude se baseia na quantidade de análises feitas, geralmente. Assim sendo, o custo que se tem varia de acordo com o número de clientes que compra de você.
 

O valor varia de fornecedor para fornecedor, e vale a pena fazer uma pesquisa aprofundada para escolher um sistema que tenha um valor acessível, mas que, ao mesmo tempo, seja realmente seguro.
 

Confirmação de dados

É importante que o sistema antifraude escolhido permita que, nos casos em que a venda parecer suspeita, seja realizado um contato com o cliente, para que ele possa confirmar os dados. 
 

Dessa forma, se realmente for um consumidor legítimo, o processo terá continuidade. Caso contrário, será encerrado ali.
 

Pouca interação com o usuário

Um bom sistema antifraude utiliza recursos de inteligência artificia que proporcionam o mínimo de contato com o usuário. Isso é importante para que a pessoa que esteja comprando não se sinta constrangida.
 

Se o comprador pensar que você está desconfiando dele e, de fato, ele ser uma pessoa honesta, pode ficar com uma má impressão da sua loja e desistir de fazer o negócio.
 

Identificar alterações nos cadastros

Também é relevante que o sistema antifraude consiga identificar possíveis mudanças nos endereços de entrega dos clientes. Como vimos, essa é uma fraude muito comum de ocorrer e, portanto, merece atenção.
 

Sempre que um cliente mudar o endereço de entrega ou fizer outras alterações cadastrais, é importante que seja solicitada uma confirmação por e-mail, telefone ou outra forma de contato. Caso se trate de um golpe, a solicitação deve ser revertida.
 

Compatibilidade com a plataforma de e-commerce

Finalmente, o seu sistema antifraude deve ser compatível com a plataforma de e-commerce que você utiliza. Os programas precisam “conversar” para que as atividades possam ser exercidas de forma paralela e em sinergia.
 

A ideia é que o sistema de gestão seja incorporado à plataforma de e-commerce, fornecendo relatórios e executando o trabalho de forma correta e coerente. Assim, nem você e nem os seus clientes serão vítimas de fraudes.
 

Infelizmente, o que mais existe por aí são pessoas mal-intencionadas, querendo dar golpes em tudo e em todos. Investir em um sistema antifraude é necessário para que você possa evitar esse tipo de situação e garantir uma boa experiência de compra para os seus clientes, assim como não ter prejuízos financeiros e de imagem.
 

A LifeApps pode ajudar o seu e-commerce a se tornar ainda mais seguro. Para saber mais, entre em contato conosco e conheça os nossos serviços!