Fazer uma implantação de e-commerce rápida é algo de interesse dos empresários de diversos setores, como o de supermercados, de lojas de roupas, entre outros comércios, principalmente do varejo.

Isso porque os comércios eletrônicos estão em alta, e as pessoas tendem, cada vez mais. a comprar pela internet.
 

O comércio eletrônico já era uma tendência há bastante tempo, mas foi muito impulsionado por conta da pandemia do novo coronavírus.
 

Os estabelecimentos físicos precisaram fechar as portas no período de isolamento social, e quem já tinha feito a implantação de e-commerce teve menos prejuízos nesse momento.
 

Agora, as empresas já perceberam a importância de atender, também, nos ambientes digitais. Por isso, a busca por fazer a implantação de e-commerce rapidamente cresceu.
 

8 dicas de ouro para fazer uma rápida implantação de e-commerce

Para que você saiba como fazer a implementação de e-commerce de maneira mais rápida, trouxemos algumas dicas. Acompanhe!
 

1. Pense no retorno financeiro que a implementação de e-commerce trará

A primeira coisa que você precisa ter em mente, ao fazer a implantação de e-commerce, é que vale mais a pena escolher uma opção ágil. É necessário optar por uma plataforma que garanta a loja virtual no ar em poucos dias.
 

Isso porque, enquanto o e-commerce estiver em implementação, os produtos não estarão à venda para os clientes, e você estará perdendo dinheiro. Em tempos de crise econômica, esse não é o desejo de ninguém, concorda?
 

Por isso, vale muito mais a pena escolher um e-commerce que seja de fácil implementação. Assim, você evita perder dinheiro por conta de um projeto cheio de etapas, e que levam muito tempo para serem cumpridas.
 

De tal maneira, busque pensar no retorno financeiro que a implementação de e-commerce trará. Pense que, quanto mais cedo o site estiver no ar, mais você terá lucros, que podem servir para pagar o serviço de desenvolvimento.
 

2. Faça integração da plataforma de e-commerce com o ERP

Ao fazer a implementação de e-commerce, é de fundamental importância que você escolha uma plataforma que proporcione total integração com o seu ERP, ou seja, o seu sistema de gestão.
 

Se você tem um supermercado e utiliza o mesmo estoque para atender aos clientes que vão ao estabelecimento físico e os que compram online, por exemplo, isso é muito relevante.
 

Quando alguém compra no estabelecimento físico ou pela internet, deve ser dado baixa no estoque. Assim, se por acaso algum item estiver em falta, ele não vai continuar sendo mostrado para o cliente no e-commerce.
 

Além disso, a integração garante que o responsável pelo estoque possa planejar as compras apenas uma vez, para as duas frentes de vendas. Dessa forma, otimiza o trabalho do profissional.
 

O estoque não é o único setor que se beneficia da integração da plataforma de e-commerce com o ERP. Outros setores, como o financeiro, também conseguem ter uma visão ampla e única sobre o fluxo de caixa, as receitas e as despesas do estabelecimento.
 

3. Tenha um profissional especialista em e-commerce na sua equipe

Ao fazer a implantação de e-commerce, é essencial que você tenha um especialista nessa área em sua equipe. Isso é importante para que o time possa ser coordenado por uma pessoa que entende do assunto, e tenha a expertise necessária para desenvolver boas estratégias em uma implantação de e-commerce. 
 

Para ser um profissional de e-commerce, não é necessário ter uma formação específica. No entanto, é preciso ter conhecimento avançado na área da informática e, também, em gestão.
 

Recomenda-se, ainda, que o profissional conheça conceitos e tecnologias que fazem parte desse universo. Entre eles, destacamos as seguintes:
 

  • plataformas de e-commerce;

  • inteligência artificial;

  • mobile commerce;

  • marketing digital;

  • social commerce;

  • omnichannel;

  • marketplace;

  • analytics;

  • big data;

  • bitcoin;

  • CRM;

  • entre outros.
     

Também é interessante que o profissional tenha uma visão estratégica dos negócios. Assim, poderá pensar em ações de implementação de e-commerce para lucrar mais, no curto, médio e longo prazo.
 

4. Pense nos investimentos que serão necessários para implantação de e-commerce

É muito importante pensar nos investimentos que você precisará para a implantação de seu e-commerce. Isso porque o projeto precisa se pagar em pouco tempo, para que logo você comece a ter lucro com o novo canal de vendas.
 

A implantação de e-commerce rápida, por meio de plataformas pré-pronta é benéfica justamente por isso. Você logo terá subsídios para recuperar o dinheiro investido, tendo em vista que os seus produtos começaram a ser vendidos.
 

Ter uma estimativa de quanto tempo o investimento demorará para se pagar também é importante nesse momento. Isso porque você poderá ver mais claramente as métricas, como o Retorno Sobre o Investimento (ROI), e ir ajustando o negócio para que consiga cada vez mais lucratividade.
 

5. Garanta um design estratégico para o seu e-commerce

Ao fazer a implantação de e-commerce, algo que não pode ser deixado de lado, de maneira alguma, é o design estratégico. É de fundamental importância que o site seja prático, intuitivo e fácil de usar.
 

É preciso pensar que, cada vez mais, as compras online estão sendo realizadas por pessoas que não estavam habituadas a comprar pela internet. Durante a pandemia, muitos idosos ou pessoas mais velhas, que jamais tinham entrado em um e-commerce, adquiriram esse hábito.
 

Mais do que nunca, o design intuitivo se tornou importante, tendo em vista que essas pessoas podem ter mais dificuldade ao acessar um e-commerce e finalizar uma compra.
 

O ideal é que o layout do seu site seja bastante prático e que as pessoas consigam entender, de forma intuitiva, quais são os passos que precisam dar para efetivar uma compra.
 

Além disso, o site também precisa ser rápido! Caso a página apresente lentidão, as pessoas poderão simplesmente abandoná-la e procurar outro estabelecimento para fazer as suas compras. 
 

Ainda falando sobre design na implementação de e-commerce, é importante que a página trabalhe a identidade visual da sua empresa, de forma estratégica. É por meio dela que o seu negócio será reconhecido no ambiente digital.
 

Se você já tem uma loja física e usa as cores azul e vermelho no seu logotipo e fachada, por exemplo, são essas as tonalidades que devem ser trabalhadas no site.
 

De tal maneira, as pessoas que já são suas clientes nos meios tradicionais, também poderão comprar de você online, uma vez que identificarão a qualidade do negócio e a sua reputação, por meio da identidade visual.
 

Pensar sobre isso é necessário, mesmo quando for preciso fazer uma implantação de e-commerce rápida. Por isso, escolha sempre uma plataforma que dê todas essas possibilidades.
 

6. Defina as formas de pagamento do e-commerce

Obviamente, receber pagamentos é uma atividade essencial para manter a sua loja virtual operando de maneira saudável. Por esse motivo, recomendamos que você dê bastante atenção a isso, quando estiver realizando a implantação de e-commerce.
 

Geralmente, os e-commerces optam por três diferentes maneiras para receber pagamentos pela internet. Veja, a seguir!
 

6.1 Pagamentos feitos por intermediadores

Existem intermediadores de pagamento, que são uma boa solução para quem está iniciando uma loja virtual. Além de simples de usar, eles oferecem benefícios, como assumir os riscos de fraude e proporcionar o adiantamento de recebíveis.
 

Os intermediadores são serviços como o PagSeguro, o Pic Pay, o Pay Pal, entre outros. Eles costumam cobrar uma taxa fixa por transação, e mais um valor variável sobre o preço da venda, sendo essa uma das poucas desvantagens que o modelo oferece para os e-commerces.
 

6.2 Gateways de pagamento

Os gateways de pagamento oferecem soluções mais robustas e, geralmente, estão relacionados a conexões mais estáveis, por meio de redes como a Cielo e a Redecard.
 

O funcionamento é bem parecido com os intermediadores, porém, as taxas cobradas são apenas por transação, sem participação na venda. Isso torna os gateways soluções mais práticas.
 

Como desvantagem desse modelo está a necessidade de contratar outros serviços por fora, como um sistema antifraude. 
 

6.3 Integração direta com a adquirente

Nesse tipo de meio de pagamento, o lojista tem contato direto com o adquirente e pode negociar taxas. Além disso, também terá controle de toda a experiência do usuário.
 

Isso pode até ser vantajoso, mas é importante ter uma equipe que já tenha experiência com meios de pagamento para e-commerce. Caso esse não seja o seu caso, vale mais a pena optar por algumas das opções citadas anteriormente.
 

7. Garanta a segurança da informação

Outro ponto que não deve ser deixado de lado ao fazer a implantação do e-commerce é em relação à segurança da informação. Lembre-se que há muita troca de dados no processo, e isso deve ser considerado, seguindo as normas vigentes atuais.
 

Recentemente, entrou em vigor no Brasil a nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Essa legislação dá mais poder aos proprietários dos dados e, consequentemente, mais obrigações para as empresas que armazenam informações de terceiros.
 

De acordo com a nova lei, é preciso que as pessoas deem consentimento às empresas com as quais vão compartilhar dados. Por isso, o seu e-commerce deve ter essa mensagem, até mesmo se usa cookies para mostrar anúncios ou pretende enviar newsletter por e-mail para os clientes.
 

A plataforma também deve ter muita segurança, tendo em vista que, se os dados dos clientes ficarem expostos, a empresa poderá ser multada em até 2% do seu faturamento total, com limite a R$ 50 milhões.
 

O valor é bastante alto, e é por isso que todas as diretrizes da LGPD devem ser cumpridas. O mais recomendado é que você busque informações a respeito e tenha uma plataforma que seja criptografada.
 

A criptografia funciona como uma espécie de capa protetora, que envolve as informações e os códigos de informação de um site. Dessa forma, fica bem mais complicado para os hackers invadirem o sistema e roubar os dados dos cartões de crédito dos seus clientes, por exemplo.
 

Ao fazer a implantação de e-commerce rápido, é preciso ter cuidado para não deixar isso de lado e ter dores de cabeça no futuro. O melhor a ser feito é contratar uma plataforma que ofereça o sistema antifraude.
 

8. Tenha um certificado de segurança

Ainda falando sobre segurança, é recomendado que todas as ferramentas de cadastro ou compra na loja virtual tenham um certificado de segurança SSL. Ele serve como uma proteção para os dados compartilhados pelos usuários, quando eles preenchem um cadastro, por exemplo.
 

Quando um site tem um certificado de segurança, é mostrado ao usuário um cadeado verde na URL do site. Isso é importante até mesmo para que as pessoas saibam que estão navegando em uma página segura, o que pode ser um fator motivador para fazer as compras em um e-commerce.
 

Se você seguir as nossas dicas, terá mais sucesso ao fazer a implantação de e-commerce de forma rápida. Esperamos que este material tenha sido útil para o seu negócio.
 

A LifeApps é uma plataforma de e-commerce completa, que garante uma solução rápida e prática para a sua empresa. Acesse o nosso site, conheça os nossos serviços e entre em contato conosco! Teremos prazer em contribuir com o crescimento do seu negócio.