A pandemia do COVID-19 está provocando um impacto significativo em todos os aspectos da vida, incluindo como as pessoas compram suas necessidades básicas em uma simples operação de e-commerce.

Com as vendas on-line estimadas em pleno crescimento nos próximos anos, e em especial neste período de quarentena, o setor de comércio eletrônico já apresentava números impressionantes antes mesmo de se ouvir falar termos como Coronavírus ou Covid-19. 
 

Desde o surto, as compras on-line foram impulsionadas para um número nunca antes visto: somente no Brasil, o e-commerce já é 48% maior que o mesmo período de 2019, de acordo a 41ª edição do Webshoppers. Até os maiores varejistas do planeta estão lutando para acompanhar a demanda sem precedentes dos consumidores
 

Mas o que faz um site de comércio eletrônico ser bom, garantindo uma operação de e-commerce de sucesso, mesmo em época de crises globais? 
 

A mudança do comportamento do consumidor em decorrência da pandemia fez o comércio eletrônico crescer, mas é preciso ser assertivo na operação de e-commerce para alcançar sucesso nas vendas
 

Uma plataforma de comércio eletrônico pode significar a diferença entre vendas on-line assertivas ou de baixo volume. Os clientes esperam uma loja virtual completa que ofereça uma experiência de compra diferenciada, eles querem saber exatamente o que estão comprando e de quem.
 

Mas como você sabe se sua plataforma de comércio eletrônico ajudará a aumentar as vendas? Quais são os melhores recursos de comércio eletrônico que levarão os clientes da navegação até a finalização da compra?
 

Uma das maneiras de chegar lá é seguir todas as últimas tendências e requisitos. Com isso dito, aqui estão os principais requisitos básicos do site de comércio eletrônico para 2020 que podem garantir o sucesso de sua operação de e-commerce.
 

  1. Adotar o minimalismo

A primeira coisa que você precisa ter em mente é que seu público nem sempre quer muitas opções de escolha. O interesse ​​é em obter o produto que deseja, e é por isso que sua operação de e-commerce precisa de uma interface simples, categorias intuitivas e informações necessárias. 
 

Estamos falando de preço, opções de remessa e uma breve lista de recursos do produto. Para fazer isso corretamente, você deve começar a procurar criadores de sites minimalistas.
 

  1. Oferecer o modo Escuro

Um modo escuro melhora a ergonomia visual e reduz drasticamente a fadiga ocular. Lembre-se de que, para alguém que passa a maior parte do dia on-line, essa chance de descansar os olhos pode ser bem-vinda. 
 

Isso é especialmente importante durante a noite, que é, coincidentemente, quando a maioria das pessoas está olhando para seus telefones. A maior vantagem de um modo escuro na operação do e-commerce é que ele aumenta de forma leve e passiva a satisfação do cliente ao fazer compras no seu site.
 

  1. Uso de Chatbots

Os chatbots que fornecem assistência em uma página são outra mudança bem-vinda. Ou seja, eles oferecem ao seu público uma resposta imediata, o que é uma grande vantagem para a experiência do cliente na operação de e-commerce. 
 

No que diz respeito às preocupações das pessoas que não querem conversar com bots, na maioria das vezes, seu público nem consegue dizer se existe uma pessoa ou uma máquina do outro lado. No entanto, é benéfico ter agentes de suporte humano em stand-by para aqueles que precisam de assistência mais personalizada.
 

  1.  Plataforma Segura

Como você está pedindo às pessoas que forneçam suas informações pessoais, é certo ir além e proteger os dados e os negócios da empresa. É por isso que, para ser levado a sério no mundo do comércio eletrônico de 2020, você precisa fazer um esforço extra para que a operação de e-commerce seja com segurança.
 

Às vezes, um único vazamento é suficiente para arruinar sua reputação – especialmente quando existem tantos concorrentes por aí que seu público nem precisa correr o risco desnecessário.
 

  1. Pronto para dispositivos móveis

Considerando que a maioria do tráfego on-line ocorre por meio de dispositivos móveis, é natural que você precise considerar a mobilidade primeiro com seu design.
 

Dessa forma, você enfatiza a capacidade de resposta, o que deve melhorar drasticamente a experiência do usuário.
 

  1.  Foco na experiência do usuário

Embora a experiência do usuário na operação de e-commerce possa parecer algo subjetivo, a verdade é que ela consiste em uma infinidade de fatores objetivos e estatisticamente comprovados. Lembre-se de que os principais fatores são a intuitividade do seu design e a capacidade de resposta do seu site. 
 

Portanto, sua página inicial precisa ser limpa e simples, enquanto suas categorias devem ser bem organizadas. Além disso, os recursos visuais que auxiliam na experiência do usuário, em vez de distrair ou atrapalhar, também desempenham um papel fundamental na eficácia geral.
 

  1. Otimização SEO

A internet é um lugar grande, facilitando a existência sem ser notado online. Talvez a coisa mais importante a melhorar em um site seja a facilidade de sua descoberta. A maneira mais eficiente de fazer isso é investir na otimização de SEO da sua página. 
 

Para que isso funcione, você precisa procurar profissionais de SEO confiáveis. A colaboração desses profissionais pode melhorar drasticamente a eficácia do posicionamento do site e dos produtos vendidos no ranking dos principais buscadores do mercado.
 

  1. Design centrado no conteúdo

Lembre-se de que seu público está sempre procurando conteúdo relacionado aos produtos do seu e-commerce. Isso significa que você precisa garantir que sua operação de e-commerce seja centrada no conteúdo. 
 

Caso contrário, você não estará fornecendo ao seu público-alvo a experiência de marca multifacetada que ele está procurando. Lembre-se de que a quantidade do conteúdo em questão é quase tão importante quanto a qualidade. 
 

Mesmo a postagem mais bem escrita não fará muito se o restante do site estiver completamente vazio, portanto, publique conteúdo consistentemente valioso na forma de postagens em blogs, vídeos, fotografias ou qualquer coisa que funcione com a sua marca.
 

  1. Foco nos clientes que retornam

Os clientes que retornam são incrivelmente lucrativos porque já estão familiarizados com seus negócios e têm maior probabilidade de permanecer leais. No entanto, todos os clientes que retornaram já foram compradores uma primeira vez. 
 

É por isso que você precisa trabalhar a operação de e-commerce de forma otimizada para transformar compradores únicos em recorrentes. Embora um acompanhamento pós-venda não seja diretamente integrado ao design do site, você pode coletar informações do cliente e entrar em contato para personalizar ainda mais a experiência de compra.
 

  1. Reduzido tempo de carregamento

Uma coisa que a maioria dos sites de comércio eletrônico de alto escalão têm em comum é a velocidade média de carregamento abaixo de 2 segundos. Isso faz uma enorme diferença, pois, após 4 segundos sem carregar, você pode perder até 25% do seu público total. 

 

Teste o tempo de carregamento do seu site com ferramentas disponíveis no mercado e trabalhe na eliminação de fatores que podem estar causando o carregamento da operação de e-commerce mais lento do que o ideal.
 

Requisitos de infraestrutura e de negócio também são necessários para operar e-commerce de sucesso

Nem só de design e ferramentas para melhorar a usabilidade faz uma operação de e-commerce de sucesso. Para aumentar o número de conversões, as lojas virtuais também precisam atender a importantes requisitos de infraestrutura e negócio. Eles variam amplamente com os diferentes tipos de atividades de comércio eletrônico.
 

Infraestrutura de telecomunicações

Isso envolve principalmente largura de banda e segurança. Esse requisito varia muito de uma atividade de comércio eletrônico para outra, dificultando a generalização. 
 

A largura de banda, geralmente, se torna crucial para o comércio eletrônico B2B com base em serviços, em oposição ao com base em produtos e ao B2C com alto tráfego, em oposição ao comércio com baixo tráfego. Dois componentes principais dos requisitos de segurança para comércio eletrônico são o tipo de firewall e o mecanismo de criptografia / algoritmo. 
 

Isso também varia muito de uma atividade de comércio eletrônico para outra, desde a proteção contra a divulgação indesejada de informações do cliente para garantir um pagamento eletrônico confiável. Os requisitos de segurança são uma parte crucial do comércio eletrônico.
 

Requisitos de hardware para comércio eletrônico

Os requisitos de hardware para trabalhar com a operação de e-commerce de alto tráfego podem depender das seguintes métricas: 
 

  • Número de transações por segundo; 

  • Número de ocorrências por segundo; 

  • Número de consultas por segundo; 

  • Número de consultas feitas por segundo; 

  • Número de páginas exibidas por segundo.
     

Alguns outros fatores que precisam ser considerados na operação de e-commerce de alto tráfego incluem clustering, ou seja, uso de servidores de backup que assumem automaticamente as operações em caso de falha dos principais. 
 

Sites de baixo tráfego podem ser facilmente atendidos em uma única máquina, dependendo das necessidades da empresa.
 

Requisitos de software para comércio eletrônico

Vários softwares estão disponíveis e podem ser usados ​​para prover o suporte necessário para uma operação de e-commerce. Alguns exemplos são os servidores de aplicação, o sistema operacional, banco de dados, etc. Muitos desses softwares precisam ser adequados para sites de alto tráfego.
 

Requisitos de habilidade técnica

Um administrador de sistemas deve ter um bom conhecimento de sua infraestrutura de tecnologia, incluindo disco rígido, processador e placa-mãe. Ele também deve ter a habilidade de instalar e compilar softwares.
 

Além disso, um desenvolvedor precisa ser um programador de alto nível com alguns anos de experiência no setor e deve ter uma compreensão clara de como funciona um sistema de comércio eletrônico. 
 

É essencial compreender como as informações fluem de uma extremidade do sistema para outra e quais modificações ocorrem entre elas. As habilidades necessárias específicas incluem habilidades de programação em diferentes linguagens, banco e arquitetura de dados.
 

Infraestrutura financeira

Os procedimentos de pagamento são as maneiras pelas quais um vendedor pode receber pela troca dos bens ou serviços vendidos. O acesso a esses serviços depende da infraestrutura bancária no local da venda e dos clientes. 
 

Transações de e-commerce que atendam aos requisitos infraestrutura bancária e de pagamentos devem contar com: 

  • Uma estrutura confiável de rede de telecomunicações;

  • Uso de software bancário e de pagamento integrado para back office e os dados de front office de processamento;

  • Uso de WAN e Internet para transações bancárias e de pagamento;

  • Disponibilidade de transferência eletrônica de fundos;

  • Disponibilidade do sistema eletrônico de compensação;

  • Disponibilidade do sistema de criptografia baseado em chave pública do sistema de cartão de crédito para pagamento local e internacional;

  • Disponibilidade de Infraestrutura legal que suporta o mecanismo de pagamento on-line.
     

Quadro jurídico e político

Em geral, devem ser adotadas políticas que garantam segurança jurídica e proteção ao consumidor para transações e interações on-line. Isso inclui a resolução de problemas, como segurança transacional, aplicabilidade do contrato eletrônico e autenticação de indivíduos e documentação. 
 

O desenvolvimento de um ambiente propício envolve um foco conjunto dos setores governamental e privado em: 

  • Um sistema financeiro eficiente e sólido (incluindo pagamentos on-line, uso de moeda eletrônica e liberalização cambial);

  • Um sistema de telecomunicações eficiente, barato e confiável ( incluindo mercado de longa distância, operadoras de câmbio locais competitivas e linhas de alta velocidade);

  • Mecanismos legais para a aplicação do direito contratual, proteção do consumidor e defesa dos direitos de propriedade intelectual, uma administração tributária eficiente e operações aduaneiras rápidas, transparentes e confiáveis. 
     

Os seguintes fatores, muitas vezes influenciados pela política nacional, devem ser considerados: risco político, previsibilidade do ambiente jurídico, solidez da política econômica e monetária, abertura ao investimento direto estrangeiro, conversibilidade da moeda local, restrições aos fluxos de capital, uso de cartão de crédito, protocolos de processamento de cartão de crédito, acesso ao crédito, cultura empresarial, acesso ao capital inicial, regulamentos e restrições às pequenas empresas.
 

Prontos para um novo “normal” na operação de e-commerce?

Os clientes estão se esforçando ao máximo para se adaptar a tempos estranhos sem muitos pontos de apoio e, consequentemente, mudando seu comportamento. Como proprietário de uma empresa, você enfrenta praticamente a mesma incerteza, enquanto tenta apoiar as necessidades de seus clientes e as suas.
 

Dependendo do segmento do seu e-commerce, a resposta à situação em constante evolução mudará. Você conhece seus clientes melhor do que ninguém. A lista de requisitos e dicas pode ajudar sua empresa entender algumas das maneiras pelas quais seus investimentos estão mudando, para que você possa continuar a servir o seu público da melhor maneira possível.
 

Se sua empresa trabalha para cumprir essas regras e requisitos simples, estará no caminho certo para tirar o máximo proveito do seu site em 2020. Lembre-se de que, embora algumas das estatísticas estejam sujeitas a alterações, todas as tendências mencionadas são indicadores bastante sólidos para o próximo ano.